BLOG

UM LUGAR ESPECIAL PARA INSPIRÁ-LO COM BELOS CENÁRIOS, CURIOSIDADES, EXPERIÊNCIAS DOS VIAJANTES, ALÉM DE DICAS E TÉCNICAS DE FOTOGRAFIA COMPARTILHADAS PELOS RENOMADOS FOTÓGRAFOS DO NOSSO TIME.

Himalaia: conheça a cordilheira mais alta do mundo

04 abr 2019 | Por Redação

A Cordilheira do Himalaia é uma das regiões mais conhecidas do mundo. Isso não se deu à toa, visto que ali se encontra o ponto mais alto do planeta: o monte Everest. Mas não é só pela altitude que o Himalaia chama a atenção. Suas paisagens e oportunidades fotográficas são de cair o queixo, atraindo turistas do mundo todo querendo apreciar um pouco de tudo o que a região oferece.

Quer conhecer mais sobre o Himalaia, sua localização e curiosidades? Então continue acompanhando o post e descubra. Vamos lá?

Cordilheira do Himalaia: o ponto mais alto do planeta

Certamente você já ouviu falar na cordilheira do Himalaia e sabe um pouco sobre a região, mas hoje vamos falar sobre algumas belezas e surpresas que o local guarda e nem todos sabem.

Com sua extensão de aproximadamente 2500 km, o Himalaia é a maior cadeia de montanhas do mundo. Devido à sua amplitude, a cordilheira passa por 5 países diferentes, localizados no sul da Ásia. Mais adiante neste post iremos falar especificamente sobre esses países e como é a parte da cordilheira pertencente à cada um deles.

himalaia-gelo

Você deve estar se perguntando como os mais altos picos do mundo se formaram. A formação geológica se deu pela colisão dos continentes indo-australiano e as placas tectônicas asiáticas. Dessa forma o continente indo-australiano foi pressionado para baixo da Ásia, erguendo assim a cadeia do Himalaia.

Muitos estudos afirmam que a cordilheira ainda é geologicamente ativa, e que a placa indiana continua se movimentando nos dias de hoje.

Por conta de sua altitude, o Himalaia é caracterizado pelo clima frio e neve durante o ano todo, além de influenciar nas temperaturas das regiões próximas. A cordilheira funciona como uma barreira, impedindo que o ar frio do ártico chegue até o sul da Ásia, deixando assim o clima quente e propício à ocorrência de chuvas. O Himalaia também possui geleiras que alimentam importantes rios locais, principalmente na época de estiagem.

Fotografar o Himalaia

Apesar de atrair muitos alpinistas em busca de aventura, a cordilheira do Himalaia vem despertando o interesse de milhares de turistas que desejam conhecer suas belezas e claro, registrá-las. Sem dúvidas a região se torna ainda mais incrível quando falamos de oportunidades fotográficas, oferecendo diversos ângulos e perspectivas para quem deseja explorar este lado.

As paisagens brancas deixam tudo ainda mais bonito e “fotogênico”. Registrar o Himalaia é uma ótima maneira de treinar o olhar fotográfico. Em um lugar onde tudo parece ser igual por conta da neve é interessante buscar perspectivas diferentes para fugir do tradicional.

himalaia-fotografia

Como costumamos dizer, não importa se você possui um equipamento profissional ou gosta de registrar tudo com o celular, a cordilheira do Himalaia poderá te surpreender e garantir fotos incríveis.

Outra opção é tentar fugir apenas das fotos dos montes. Claro que retratar os picos é essencial, pois são eles que formam a exuberante cadeia montanhosa, mas buscar outras características é importante. Os grandes rios alimentados por geleiras não podem ser ignorados durante a expedição.

himalaia-trekking

A imponência dos picos pode distrair nosso olhar de detalhes menores, mas eles não devem passar despercebidos. Muitas vezes atentar-se para aquilo que parece não importar é sinônimo de registros únicos. Um alpinista se aventurando pelos montes pode parecer insignificante, mas é uma ótima maneira de demonstrar um pouco da imensidão da cordilheira.

Falando em imensidão, confira a seguir um pouco dos 5 países pelos quais a cordilheira do Himalaia se estende.

Onde fica o Himalaia?

A maior cadeia montanhosa do mundo fica localizada no sul da Ásia, mais especificamente em 5 países: Paquistão, Índia, China (inclui Tibete), Nepal e Butão. Agora vamos falar um pouco sobre cada um destes países e como é a parte do Himalaia localizada neles, para que você possa conhecer um pouco mais sobre a cordilheira no geral. Acompanhe.

Paquistão

Além de possuir o sexto lugar do mundo no quesito população, o Paquistão é um dos 5 países privilegiados por ter parte da cordilheira do Himalaia em seu território. Um dos assuntos que se destaca quando falamos desta parte da cadeia montanhosa é o famoso sal rosa do Himalaia.

himalaia-sal-rosa

Muitas pessoas não sabem, mas na maioria das vezes esse sal vem da parte paquistanesa do Himalaia. Mais especificamente, é na cidade de Khewra que a extração deste mineral é feita. Nesta região estão localizadas as minas de sal mais antigas do mundo.

Índia

Boa parte do turismo na Índia acontece por conta do Himalaia. Uma grande porção da cordilheira se encontra ao norte do território indiano, se tornando assim um dos principais pontos turísticos da região. Alguns dos estados contemplados com os montes são Uttarakhand, Himachal Pradesh, e Jammu & Kashmir.

himalaia-vilarejo

O local é muito procurado no verão, tanto por turistas estrangeiros quanto pelos próprios indianos. Como dissemos anteriormente, a cordilheira do Himalaia influencia no clima das regiões próximas, fazendo com que muitas pessoas busquem as cidades e vilarejos na montanhas para se refrescar. Além disso estes lugares contam com trilhas e outras atividades diferenciadas.

China

Podemos dizer que uma grande parte da cordilheira fica localizada em terras chinesas. Inclusive, para quem deseja saber onde fica o monte Everest, é interessante saber que ele se posiciona na fronteira entre Nepal e Tibete, um território na China. A cerca de 8848 metros acima do nível do mar, o monte Everest é o ponto mais alto da terra.

himalaia-pico

Além da cordilheira do Himalaia, a China abriga muitas outras belezas que atraem turistas do mundo todo. Se você deseja conhecer mais sobre os encantos da civilização mais antiga do mundo, temos a expedição perfeita para você. Aqui você pode conferir um pouco sobre o destino, o roteiro e outras informações.

Nepal

Nepal é a região que além de dividir fronteira com a China, compartilha também o mais alto pico do Himalaia: o monte Everest. A região abriga não somente este pico do Himalaia, mas também outras montanhas com mais de 8 mil metros de altitude. Dentre elas podemos encontrar: Kangchenjunga com 8586 metros, Lhotse com 8516 metros, Makalu com 8485 metros, entre outras.

himalaia-alpinista

Voltando ao Everest, não é preciso ser alpinista para chegar até o campo base do monte. Energia e disposição são os requisitos para o trekking até o local, pois é necessário caminhar 7 horas até lá. Gostaria de vivenciar esta experiência? Aqui você pode encontrar um pouco sobre esta expedição. Não deixe de conferir.

Butão

Desconhecido por muitos, o Butão é um pequeno país encravado no Himalaia. Com seus 47 mil quilômetros quadrados, a região conta com grandes montes da cordilheira, como o esplendoroso Monte Jomolhari (7.314 metros). Apesar dos picos, ao sul do Butão podemos encontrar planícies baixas, florestas e rios, sendo conhecido como um dos lugares mais remotos e intocados da Terra.

himalaia-paisagem

O Butão é conhecido por ser um dos países mais felizes do mundo. Existe um índice de Felicidade Interna Bruta, que mede o progresso social dos países de uma forma menos econômica. Assim o grau de satisfação da população é ligado à qualidade de vida, ao invés do poder de compra.

Curiosidades sobre o Himalaia

Assim como qualquer região, o Himalaia possui algumas curiosidades que poucas pessoas sabem, mas que nós iremos te contar hoje. Além da imponência da cordilheira, ela abriga alguns fatos não muito conhecidos mas que demonstram ainda mais a sua majestosidade. Confira.

himalaia-montes

Os mais altos montes

Não é apenas o Everest que impressiona por sua altitude no Himalaia. Os 15 maiores picos do mundo estão localizados nesta cordilheira, além de contar com cerca de 100 montes com mais de 7 mil metros de altura.

As 15 montanhas mais altas do mundo

15. Gyachung Kang
14. Shishapangma
13. Gasherbrum II
12. Broad Peak
11. Gasherbrum I
10. Annapurna
9. Nanga Parbat
8. Manaslu
7. Dhaulagiri
6. Cho Oyu
5. Makalu
4. Lhotse
3. Kanchenjunga
2. K2
1. Monte Everest

O início de tudo

A cordilheira do Himalaia começou a ser formada a cerca de 26 milhões de anos atrás, com a projeção da placa indiana para o norte. Segundo estudos, esta placa ainda continua ativa nos dias de hoje, se movimentando cerca de 5 centímetros ao ano, fazendo assim com que montanhas como o Everest cresçam 0,8 milímetros no mesmo período.

Além dos picos

Não só de montanhas se forma a cordilheira do Himalaia. Isso mesmo, também podemos encontrar planaltos na região. Inclusive o maior e mais elevado planalto da Terra se encontra ali. Com altitude média acima dos 4 mil metros, o Planalto do Tibete se encontra ao norte do Himalaia, e abrange diversas regiões.

Diversas cordilheiras

Um fato que poucos sabem é que a cordilheira do Himalaia na verdade é uma formação de diversas cordilheiras. Dentre elas podemos encontrar a Cordilheira do Karakorum, o Pamir, o Indo Kush e o próprio Himalaia.

himalaia-rio

Imersão religiosa

Pouca gente sabe, mas o Himalaia é um destino muito procurado por quem deseja uma imersão religiosa. Ali acontecem importantes peregrinações inspiradas em histórias, sejam elas verdadeiras ou fictícias. Duas religiões marcantes no local são o Hinduísmo e o Sikhismo.

Etnias variadas

Um local que pertence a 5 países diferentes não poderia deixar de contar com variadas etnias não é mesmo? No Nepal por exemplo podemos encontrar dois grupos principais: Gurkhas e Bihari. Já quando falamos da China, cerca de 92% da população é da etnia Han. Os povos do Butão são 70% da etnia drukpa, enquanto a Índia é o país com a maior diversidade étnica-cultural. Por fim o Paquistão conta com 48% da população étnica punjabi, enquanto o restante é dividido entre sindhis, pashtuns e baluchis.

Gostou do post? Continue acompanhando o blog para mais dicas e informações.

Redação

Autor:

Redação

O QUE ACHOU? DEIXE SEU COMENTÁRIO: