Desvende a esplêndida cultura persa em uma experiência única

Para um fotógrafo documental ou viajante em busca de quebrar paradigmas in loco, a história milenar e cultura de um destino governado com mãos de ferro como o Irã sempre despertam verdadeiro fascínio. Posicionamentos políticos e estereótipos à parte, a antiga Pérsia é um verdadeiro tesouro da civilização e do pensamento, onde surgiram conceitos filosóficos, matemáticos, literários e culturais que chegaram ao mundo ocidental via rotas comerciais e sucessivas ondas de dominação de lado a lado.

Parte dessa poderosa herança histórica pode ser vista em cidades hoje transformadas em ruínas, como Persépolis e Pasárgada, onipresentes nos livros de história. Homens como Xerxes e Dario eternizaram seus nomes em batalhas contra Alexandre Magno e os 300 de Esparta — que, na verdade, eram muito mais. Nenhum nome porém se sobressai ao de Ciro, o Grande, um estadista e soldado que legou mudanças profundas na sociedade e cultura de seu vasto império, que ia da Turquia à Índia, o maior de seu tempo. Curiosamente, ele era um grande protetor do povo judeu, que o tinha em alta estima. Com a chegada dos árabes e a perpetração do Islã, os persas começaram a erigir mesquitas e madrasas espetaculares em Isfahan e Shiraz, dois destinos obrigatórios na região. Mas não é só isso. A terra dos aiatolás é muito mais diversificada do que parece.

Menor do que na época de Ciro, o Irã ainda é um dos maiores países do mundo, estendendo-se do Golfo Pérsico ao Mar Cáspio — de onde saem algumas das variedades mais cobiçadas do caríssimo caviar beluga –, e, de leste para oeste, Iraque e Turquia, e Turcomenistão, Afeganistão e Paquistão.

Aos turistas, é necessário seguir um código de conduta. Homens não devem usar bermudas, nem usar camisetas com mensagens profanas. Mulheres devem cobrir braços, cabelos e pernas, usando roupas largas até os joelhos e, preferencialmente, nada de maquiagem. Os turistas estrangeiros não costumam ser fiscalizados muito de perto, mas não custa nada ter bom senso e não abusar. Apesar das restrições ligadas à religião, o país é muito seguro, a arquitetura é rica, as pessoas são simpáticas, curiosas e muito inteligentes, e a comida é deliciosa.

Fotograficamente estes fatores são riquíssimos e as oportunidades de uma boa imagem aparecem a cada esquina, um paraíso para os amantes da street photography – fotografia de rua. A dica aqui é um equipamento leve e discreto para, em alguns casos, conseguir imagens mais naturais de maneira despercebida. Os bazares são encontrados em todas as cidades e fervilham com as cores dos tapetes, o cheiro dos temperos e a delicadeza da arte Persa.

Pequenas vilas nas montanhas como Abyaneh preservam um ambiente e um modo de vida único, muito difícil de se encontrar nos dias de hoje. Os moradores se permitem fotografar com simpatia ao mesmo tempo em que desenvolvem seus afazeres. Há uma diferença muito grande de abordagem quando se fotografa mulheres. Os homens são quase sempre muito abertos, já as mulheres um pouco mais reclusas. A arquitetura urbana traz um tom nostálgico de décadas passadas e as gigantescas mesquitas surgem em meio aos prédios. Estas mesquitas são a representação mais impressionante da religião islâmica. São construídas de modo a permitir a entrada da luz em certos horários e fotograficamente transformam o ambiente interno reluzindo pelas paredes coloridas. As mais bonitas são encontradas em Isfahan, Shiraz e Yazd.

Durante a viagem, entre uma cidade e outra, também teremos possibilidades fotográficas de paisagens desérticas com belíssimas formações rochosas e ruínas com mais de 2500 anos como Persépolis, um patrimônio da humanidade. O Irã se mostra um tesouro cultural e histórico com um povo simples e agradável, uma imersão que nos faz refletir sobre o modo de vida que levamos aqui do outro lado do planeta. Roberta Pondé, participante da nossa última expedição fotográfica pelo país, explica um pouco do sentimento de viajar por este destino incrível:

“Eu levo um tempo para começar a fotografar qualquer lugar. Gosto de, primeira e demoradamente, ver as coisas e pessoas com os olhos, sem intermediação de lentes; sentir os cheiros; tocar as pedras; perceber a energia que tudo à volta me passa para, então, poder retratar o que vi não apenas com o olhar. O Irã foi um lugar para ser essencialmente percebido. É diverso demais da nossa realidade para eu me contentar com um olhar furtivo. O fato de poder entrar em contato com a gente de lá foi também decisivo para deixar de lado a câmera e voltar a atenção para o que minha retina – e meus sentidos – registravam. Surpreendi-me com a infraestrutura que encontrei, com a sensação de segurança que tive e, muito mais ainda, com as pessoas com quem tive contato. Quebrei preconceitos, revi posições, mas também reforcei pontos de vista, inclusive políticos. Foi uma experiência única e incrivelmente bela. Afinal, as melhores viagens são aquelas que eu faço para dentro.”

Clique aqui e confira a Galeria completa de fotos

CONFIRA OS VALORES E CONDIÇÕES

Cristiano Xavier

Fine Nature Photography

A fotografia é fascinante e capaz de mudar a vida de muitas pessoas. Foi o que aconteceu com Cristiano Xavier, mineiro, nascido em Belo Horizonte há 43 anos. Sempre gostou de fotografar, mas, como profissão, havia abraçado a odontologia. Cristiano começou a fotografar em 1998 e, para ele, a fotografia de natureza era mais um hobby, embora um hobby levado muito a sério. Naquele final da década de 1990, Cristiano estudou muito e devorava todos os livros e revistas que tratavam do assunto e apareciam na sua frente. Dessa forma, como autodidata, começou a aprender e a desenvolver as principais técnicas de fotografia.

Até que, em 2002, resolveu se aprofundar no assunto e partiu para os Estados Unidos, mais especialmente para o Palm Beach Photographic Centre, onde teve a oportunidade de conhecer a obra de importantes fotógrafos americanos. Quando, após um ano, retornou ao Brasil tomou uma decisão que mudaria sua vida para sempre: trocou definitivamente o avental, as luvas e os equipamentos odontológicos pelas câmeras, flashs e lentes fotográficas. Largou o consultório para se dedicar exclusivamente à fotografia. Depois de algum tempo, em Belo Horizonte, abriu um estúdio, onde produzia fotos industriais, still, retratos, entre outras demandas comerciais.

Durante esse período, mesmo com o estúdio em funcionamento, Cristiano nunca deixou de viajar e de fotografar a natureza, tendo como inspiração renomados fotógrafos da área, como o americano Art Wolfe e os brasileiros Fábio Colombini e Luciano Candisani. E mais recentemente outros nomes como Marc Adamus, Ian Plant, Joseph Rossbach, Christian Lim e Iurie Belegurshi, que se tornaram amigos.

Mesmo bebendo na fonte de grandes mestres, Cristiano Xavier desenvolveu uma linha própria de trabalho, mais direcionada à valorização da estética e às imagens que registram a beleza da natureza, levando em conta a composição do ambiente e da luz. Seu olhar busca captar aquela imagem que emociona, que impacta e que ao mesmo tempo está conectada com sua alma. Além disso, Cristiano desenvolveu um estilo especial para fotos noturnas, uma de suas áreas favoritas.

A partir de 2013, como um dos sócios fundadores da OneLapse, também passou a viajar ao redor do mundo liderando grupos de entusiastas da fotografia. Para ele, estas viagens são oportunidades únicas para a interação de vários olhares ao mesmo tempo e para que haja uma intensa e rica troca de experiências entre os participantes. Afinal, todos estão juntos respirando fotografia 24 horas por dia.

Segundo Xavier, estas viagens são essenciais para quem deseja fazer uma imersão na arte de fotografar. Para isso, basta estar aberto a novas experiências e entrar no clima da expedição. Tudo isso, segundo ele, é fundamental para que os resultados das fotos sejam cada vez melhores, como mostra suas imagens captadas em vários destinos, como Yukon (Canadá), Ilhas Lofoten (Noruega), Namíbia, Irã, Patagônia, Cuba, Peru, Islândia, Tanzânia, Nepal, Butão, entre outros.

Clique aqui e saiba mais sobre o Fotógrafo.

DIA A DIA

LEGENDA

  Café da manhã incluído
  Almoço incluído
  Jantar incluído

DIA 1 | SHIRAZ

Chegada ao aeroporto de Shiraz ainda de madrugada. Recepção e traslado ao hotel para check-in e pernoite (diária do dia anterior incluída). Shiraz é a quinta cidade mais populosa do Irã e conhecida como a cidade dos poetas, da literatura, do vinho (atualmente sua produção e consumo são proibidas) e das flores. É considerada por muitos iranianos a cidade dos jardins, pela grande quantidade de jardins e árvores frutíferas. Após o café da manhã, nos encontraremos com o fotógrafo Cristiano Xavier para um briefing detalhado sobre o dia a dia da expedição. A tarde, faremos um passeio a pé pelo mercado da cidade e visitaremos uma das mais sagradas mesquitas do páis: Shah Cheragh, de interior totalmente decorado com pequenos pedaços de espelhos e vidros que causam um efeito surreal. Retorno ao hotel e pernoite.

DIA 2 | SHIRAZ – YAZD

Pela manhã, visitaremos uma das mesquitas mais simbólicas do Irã, a Mesquita Nasir ol molk, construída durante a era Qajar e encomendada por Mirza Hasan Ali Nasir al Molk, um dos lordes da desta dinastia. A mesquita faz uso extensivo de vidros coloridos em sua fachada, e é justamente na melhor luz do dia que visitaremos o local para fotografá-la. Dali, pegaremos a estrada em direção a Yazd, uma das mais tradicionais e conservadoras cidades iranianas. No caminho, faremos uma parada em alguns dos lugares mais importantes da história persa. Nossa primeira parada será em Pasárgada, a capital de Ciro – O Grande (559-530 a.C) e seu último local de descanso. Pasárgada foi uma antiga cidade persa e hoje é um sítio arqueológico, além de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Ciro morreu em batalha antes do término da cidade, e no local encontramos o seu túmulo. A próxima parada será em Persépolis, ruínas de um complexo erguido por volta de 500 a.C., local onde Darius I recebia convidados de todas as partes do império. Persépolis foi invadida e queimada por Alexandre – O Grande e deu um fim momentâneo ao império persa. Foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1979. Já a noite, chegaremos a Yazd, um centro da cultura do Zoroastrismo. Por conta de gerações de adaptações ao deserto que cerca a cidade, é única em termos de arquitetura. Também é conhecida no Irã pela alta qualidade de artesanatos, principalmente pela tecelagem da seda e pelas lojas de doces. Check-in no hotel e pernoite.

DIA 3 | YAZD

Nosso dia começará com uma caminhada pela parte antiga da cidade, já praticamente inabitada. Ruas estreitas entre os prédios de barro, passagens cobertas, casas construídas de tijolos de barro e madeira compõem um cenário bastante peculiar. Os minaretes das mesquitas intensificam a paisagem quando olhamos a cidade de algum ponto mais alto, e buscaremos as melhores locações para fotografar. O dia será dedicado ainda a visitar sua principal mesquita e outras situações interessantes do cotidiano de Yazd. Ao final do dia, sugerimos aproveitar alguns dos charmosos cafés da cidade, normalmente localizados no topo das casas e proporcionando um lindo panorama das casas de barro e mesquitas. Pernoite.

DIA 4 | YAZD – NAIN – ISFAHAN

Pela manhã, pegaremos estrada em direção a cidade de Isfahan, antiga capital do Irã e a terceira mais populosa do país. No caminho, faremos uma parada na pequena cidade de Nain, onde seremos recebidos por uma moradora local. Aqui, teremos a oportunidade de conhecer de perto a produção artesanal dos famosos tapetes persas e será nos oferecido um almoço típico – tudo numa tradicional residência iraniana, proporcionando uma imersão no cotidiano desse povo tão hospitaleiro. Depois de mais algum tempo de estrada, chegaremos a Isfahan, famosa pela arquitetura islâmica com muitos boulevards, pontes cobertas, palácios, mesquitas e minaretes. É um lugar para saborear os altos refinamentos da cultura persa, mais evidente na Praça Imam, além das mesquitas e palácios da região. Chegada ao hotel para check-in e pernoite.

DIA 5 | ISFAHAN

Pela manhã, saída para visitarmos a enorme e imponente Praça Imam, construída entre 1598 e 1629. É também conhecida como Naqsh-e Jahan, como era mais chamada antes da revolução. A praça já foi descrita por um poeta francês no século XVI como “metade do mundo” por abrigar, talvez, a mais importante coleção de monumentos do mundo islâmico. É hoje um local de grande importância histórica e Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O local ainda abriga a mesquita Sheikh Lotfollah, além do principal mercado da cidade. Aqui teremos excelentes oportunidades para a fotografia e de conhecer um lugar riquíssimo em história. Poderemos almoçar num tradicional restaurante do mercado antes de algum tempo livre para visitar suas lojas. No final da tarde, poderemos fotografar a ponte Allāhverdi Khan, popularmente conhecida como Si-o-seh pol e famoso ponto de encontro dos moradores, especialmente neste horário. Retorno ao hotel e pernoite.

DIA 6 | ISFAHAN

Pela manhã, visitaremos a mesquita Jameh, conhecida como a Grande Mesquita de Isfahan. Ela abrange uma área de mais de 20 mil m², uma obra-prima da arquitetura local. Após o almoço teremos o restante da tarde livre para atividades individuais ou com o fotógrafo, que estará a disposição para comentar o material produzido até o momento e dar algumas dicas de edição e tratamento de imagem. Pernoite.

DIA 7 | ISFAHAN – ABYANEH – KASHAN

Seguiremos viagem para Kashan. No caminho, faremos uma parada no pequeno vilarejo de Abyaneh, um dos mais antigos do Império Persa, onde ainda hoje muitas tradições antigas são mantidas. O local também é conhecido pela coloração avermelhada das casas e pelas mulheres que usam lenços brancos com estampas coloridas, cobrindo a cabeça e os ombros, uma característica bem própria de Abyaneh. No final do dia, chegaremos a Kashan, cidade que foi destruída pelo menos duas vezes pelas hordas de exércitos invasores. Os muros da cidade foram reconstruídos e Kashan se tornou proeminente durante o período Seljuk (1051-1220 a.C.). É famosa pelos tecidos, cerâmica e azulejos. Restante do dia livre e pernoite em hotel de arquitetura tradicional.

DIA 8 | KASHAN – TEERÃ

Visitaremos a histórica mesquita Agha Bozorgde, construída para orações, pregações e sessões de ensino. A mesquita foi descrita como um dos mais belos complexos islâmicos de meados do século XIX. Notória por sua forma simétrica, consiste em duas grandes “iwans”, uma em frente ao “mihrab” e outra na entrada. A tarde, seguiremos para Teerã, a capital do país. Chegada ao hotel para check-in e pernoite.

DIA 9 | TEERÃ

O dia será dedicado a explorar esta metrópole, começando por um passeio panorâmico pela antiga embaixada americana, um dos principais cenários da Revolução de 1979. Visitaremos um dos marcos mais famosos da cidade, a Torre Azadi, também conhecida como Shahyād, que significa “memorial dos reis”. A construção da torre foi realizada em comemoração os 2.500 anos do império persa. Com 45 metros de altura, a torre-portal é um centro de comemorações civis de Teerã. Havendo tempo, poderemos fotografar outros pontos da cidade, como a Torre Milad e a Nature Bridge, a maior ponte de pedestres do país e interessante ponto para fotografarmos a cidade por diferentes ângulos. Retorno ao hotel com algum tempo de descanso antes de seguirmos ao aeroporto, de onde nos despediremos com ótimas recordações.

FIM DOS SERVIÇOS

GALERIA DE FOTOS

Fotos: Cristiano Xavier. Todos os direitos reservados.

MAIS INFORMAÇÕES

   HOSPEDAGEM

SHIRAZ: Hotel Zandiyeh ou similar
ISFAHAN: Hotel Abbasi ou similar
YAZD: Hotel Laleh ou similar
KASHAN: Hotel Saraye Ameriha ou similar
TEERÃ: Hotel Espinas or similar

INCLUI

  • 09 dias/10 noites de hospedagem com café da manhã
  • Traslados in/out privativos nos horários sugeridos no momento da confirmação das reservas
  • Transporte privativo ao grupo para todas as locações descritas no roteiro
  • Acompanhamento de guia local falando inglês, além de coordenador operacional da OneLapse falando português durante todo o roteiro
  • Acompanhamento do fotógrafo Cristiano Xavier em todas as locações e orientações fotográficas conforme objetivos de cada participante
  • Entradas para todos os locais visitados
  • Emissão de pré-autorização para o visto iraniano (sujeito a aprovação pelas autoridades locais)
  • Seguro viagem April – Plano Max 60 Mundo

NÃO INCLUI

  • Passagens aéreas e taxas de embarque (consulte-nos para cotação e emissão dos voos)
  • Traslados para horários de voo fora dos selecionados pela empresa
  • Early check-in e Late check-out
  • Equipamento de fotografia
  • Almoço e jantar quando não indicados no roteiro
  • Taxa do visto iraniano paga na imigração do país (cerca de US$90,00 por pessoa)
  • Despesas pessoais e gorjetas

OBSERVAÇÕES

  • Os valores são por pessoa, estão em Dólares Americanos (USD) e serão convertidos ao Real levando em conta a cotação do Dólar Turismo do Valor Econômico no dia do envio do contrato de viagem;
  • Para esta viagem, brasileiros precisam de passaporte com validade mínima de 6 meses a partir da chegada no Irã, além de visto previamente emitido e pagamento de taxa no valor médio de USD90 na imigração em Shiraz;
  • Todo o grupo deverá chegar e sair do Irã nos mesmos voos, que serão sugeridos no momento em que a saída for confirmada;
  • Há restrições quanto ao vestuário durante a viagem, tanto para as mulheres quanto para os homens. Consulte-nos;
  • A ordem do roteiro pode ser alterada caso o guia e/ou o fotógrafo responsável considerem necessário.

 

EQUIPAMENTOS RECOMENDADOS

  • Câmera fotográfica
  • Cartões de memória
  • Tripé
  • Lentes de 17mm a 200mm

* Em caso de dúvidas, entre em contato conosco.

 

VOOS INTERNACIONAIS

No momento em que o grupo for confirmado, será feita a seleção de voos para que todos possam chegar e sair do país juntos. Não será permitida a reserva em voos diferentes ao selecionado.

QUER SE INSCREVER OU TEM DÚVIDAS?

PARTE TERRESTRE – VALORES POR PESSOA

POR PESSOA EM ACOMODAÇÃO DUPLA:

US$ 4.390,00*

SUPLEMENTO VOLUNTÁRIO PARA ACOMODAÇÃO INDIVIDUAL: US$ 700,00

SINAL EM DEPÓSITO NO MOMENTO DA INSCRIÇÃO: R$ 2.500,00

DESCONTO PARA OS 06 (SEIS) PRIMEIROS INSCRITOS: R$ 700,00

FORMAS DE PAGAMENTO:
  • À vista em depósito/boleto com 5% de desconto
  • 30% de entrada + Saldo em até 4x sem juros no cartão de crédito Visa/Master

 

* Caso o grupo seja fechado e não haja um participante para dividir o quarto duplo, deverá ser pago um suplemento involuntário no valor de US$350,00. Este valor será cobrado a vista em até 72h antes do início dos serviços.

** Esta viagem exige um número mínimo de 8 participantes para que o grupo seja confirmado. O sinal não é reembolsável em caso de desistência da viagem e não pode ser transferido para outro destino. A confirmação ou não da saída será feita no dia 30 de dezembro ou antes, caso já tenhamos atingido o número mínimo de participantes. Confirmando o grupo, o valor do sinal será abatido da entrada e caso o mesmo não seja confirmado, o valor será integralmente devolvido.