Bolívia | DESERTO & CORDILLERA REAL

18 AGO - 29 AGO 2019


ÚLTIMAS VAGAS

Paisagens surrealistas e pitadas de aventura no altiplano e montanhas da Bolívia

Difícil o Salar do Uyuni ficar fora daqueles rankings que elegem os lugares mais belos do mundo. O maior deserto de sal do planeta, esparramado por mais de 12 mil quilômetros quadrados de altiplano andino, desafia conceitos de perspectiva. O céu azul parece colado no quase infinito tapete branco de sal ou então, quando coberto por uma fina camada de água, pessoas e carros perecem flutuar em reflexos como nas mais absurdas pinturas surrealistas. Este verdadeiro parque de diversões para quem ama fotografia é, no entanto, apenas a imagem mais conhecida de um caleidoscópio de cores e cenários impressionantes que esta viagem à Bolívia vai revelar.

“A cor é algo muito marcante nesta expedição”, diz o fotógrafo, alpinista e guia profissional de montanha Edson Vandeira, responsável por guiar o grupo por estes cartões postais. As oportunidades de fotos são as mais diversas possíveis, variando dos cenários multicoloridos das lagunas altiplânicas à região montanhosa da Cordillera Real. Assim como as situações de luz, com muitas possibilidades de registros noturnos e até mesmo astrofotografia, nesta que é uma das regiões de céu mais estrelado do planeta. Vivências únicas e um toque de aventura completam o blend que faz desta viagem uma experiência que vai além do que conseguimos registrar em cartões de memória.

A viagem começa por La Paz, sede do Governo Boliviano, labiríntica cidade de cerca de 800 mil habitantes, imersa em um vale cercado por montanhas andinas. Os 3.600 metros de altitude desta capital causam um certo desconforto nos primeiros dias de viagem, mas aclimatar é justamente a razão principal desta etapa do roteiro. Explorar a parte cultural da cidade, percorrer suas ruazinhas e ter contato com sua gente, com as cholas envoltas em roupas típicas, pode render cliques mais documentais. Já o passeio pelas montanhas dos arredores, no terceiro dia, chegando a 5 mil metros de altitude, tem também o objetivo de preparar ainda melhor o organismo para o que vem por aí.

Uyuni é a cidade porta de entrada para o salar e o deserto boliviano. Ao desembarcarmos, veículos 4×4 nos aguardam para os primeiros de uma série de cenários alucinantes no deserto de sal. O objetivo, ao fim do dia, é chegar ao extremo sul do salar, a outro dos grandes highlights da viagem: a Laguna Colorada. Algas e plânctons garantem tons de vermelho acobreado a esta lagoa que ocupa uma área de 60 km2 e é morada de todas as três espécies sul-americanas de flamingos. “O cenário é esse: imagine bandos de flamingos, a cor surreal da laguna, vulcões compondo a paisagem e aquela luz mágica como gran finale”, diz Edson.

Enquanto turistas se despedem da Laguna, nossos planos são outros. Nossa base pelos próximos dois dias será ali mesmo. Ficaremos hospedados em um refúgio que está na frente da fantástica lagoa colorida. A decisão é estratégica, já que possibilita que o grupo explore outros pontos incríveis mais ao sul, como os gêiseres, a Laguna Verde ou o Deserto de Siloli, com suas inusitadas formações rochosas. E, de quebra, pode-se fotografar os agora vizinhos flamingos em horários de melhor luz, como ao amanhecer. Também é uma super oportunidade para fotografar o famoso monolito Árvore de Pedra em horário alternativo, à noite. “É uma foto que eu nunca vi ninguém fazer e, como está a menos de meia hora do refúgio, a gente vai à noite e ilumina”, vibra Edson.

Hora de mergulhar de cabeça no Salar do Uyuni, apostando em vivências únicas como se hospedar em um hotel de luxo em pleno salar e construído com blocos de sal. Ou então ver a Ilha do Pescado, a mais visitada das 33 “ilhas” de rocha em meio ao mar de sal, em um horário que não há turistas. “Ficaremos até o pôr do sol para pegar uma luz maravilhosa”, conta Edson. E, apesar de o final de agosto já ser temporada seca no Uyuni, há chances de encontrar trechos alagados. “Na parte mais baixa do salar, o acúmulo de água demora para secar. Se tivermos sorte, ainda podemos pegar ainda aquele reflexo famoso”, diz. Neste caso, o plano é ir ao amanhecer e também ao anoitecer para explorar fotografia noturna.

O Uyuni não é apenas o maior salar do mundo, mas também o mais alto. E passar estes dias dormindo entre 3.700 e 4 mil metros de altitude é a melhor preparação para a etapa final e mais aventureira da viagem: explorar as montanhas da Cordillera Real. Este trecho dos Andes bolivianos tem mais de 600 picos acima dos 5 mil metros de altitude e segue por 150 quilômetros, dos arredores de La Paz até a região do Lago Titicaca, a noroeste.

A trilha que começa nas proximidades de La Paz é uma aventura ao gosto do freguês. Quem quiser apenas aproveitar o visual sem muito esforço vai caminhar por cerca de 2 horas para a primeira base de pernoite, a uma altitude de 4.650 metros. Ficar por ali será uma vivência única, já que ficaremos acampados defronte a uma belíssima lagoa. E, claro, com o maior conforto, que inclui barraca cozinha, cozinheiro para preparar as refeições, mesas, cadeiras e mulas para levar tudo isso montanha acima.

A intenção é que o acampamento seja tão confortável que quem desejar pular a parte mais intensa do programa – o trekking opcional ao Pico Áustria, num total de cerca de 6 horas de caminhada entre ida e volta – também vai ficar feliz relaxando e fotografando no acampamento. Mas a parte onde todos relaxam juntos está programada para o último dia da jornada. Aos pés do Huayna Potosi, uma linda montanha de 6.088 metros, o merecido descanso acontece em um aconchegante e autêntico refúgio de montanha. Para curtir a paisagem, comer bem e brindar por tudo que a natureza nos ofereceu.

Clique aqui e confira a Galeria completa de fotos

CONFIRA OS VALORES E CONDIÇÕES

Edson Vandeira

National Geographic

As viagens têm o poder de transformar o destino de algumas pessoas. Foi o que aconteceu com o fotógrafo e guia de montanha Edson Vandeira, nascido e crescido em São Paulo em 1989, mas que, nos últimos anos, adotou a cidade de Campo Grande (MS) como moradia. Em 2008, aos 19 anos, começou a fazer suas primeiras viagens. Passou a praticar o montanhismo e a escalada. Ao mesmo tempo em que pegava gosto pelas montanhas, também se interessou pelo mundo da fotografia, especialmente as imagens de aventura. Desde então, não parou mais de viajar e fotografar.

No começo, Vandeira escalou as principais montanhas do Brasil. Depois, decidiu colocar em prática o que havia aprendido e partiu para a exploração da Cordilheira dos Andes, a começar por escalar uma montanha de 6 mil metros próximo a Mendoza, na Argentina. Em 2010, conquistou a maior montanha das Américas, o Aconcágua, com 6.962 metros, localizado na Argentina. Na sequência vieram novas aventuras em outras grandes montanhas na Bolívia, Peru e Patagônia (Argentina e Chilena). Em 2015, subiu o Mont Blanc, nos Alpes, entre França e Itália, com 4.800 metros. Ao todo, foram mais de 30 ascensões em montanhas de altitude. Além disso, há 5 anos ele é contratado para apoiar o Programa Antártico Brasileiro, como alpinista responsável pela segurança dos cientistas durante a permanência e nos deslocamentos na Antártica.

Para ele, a associação entre fotografia e montanhismo é perfeita, pois, por meio das imagens que produz, consegue registrar os desafios que encontra durante suas jornadas nas montanhas. Além disso, suas fotos também permitem eternizar momentos únicos de contemplação e beleza vivenciados durante as escaladas, já que, para Vandeira, as imagens são uma poderosa ferramenta para contar boas histórias.

Atualmente vem colaborando para a National Geographic Brasil e Adventure (EUA), sendo um fotógrafo representado exclusivamente pela National Geographic Creative. Tem como fonte de inspiração renomados fotógrafos da área, como os americanos Jimmy Chin, Cory Richards e os brasileiros Luciano Candisani e Sebastião Salgado.

Todo esse conhecimento e experiência, aliados à formação que fez em cursos nas áreas de montanhismo, trekking, escalada em rocha e em gelo, primeiros socorros e resgates em áreas remotas, serão importantes durante as expedições fotográficas. Nestas jornadas ele pretende dividir com os viajantes sua paixão por este ambiente e tudo o que aprendeu e desenvolveu nos últimos anos pelas montanhas do mundo.

Clique aqui e saiba mais sobre o Fotógrafo.

DIA A DIA

LEGENDA

  Café da manhã incluído
  Almoço incluído
  Jantar incluído

DIA 1 | LA PAZ

Chegada ao aeroporto internacional de La Paz. Recepção e traslado até o hotel para o check-in. Restante do dia livre para descanso e aclimatação. La Paz é a capital federal e sede do governo boliviano, localizada a 3.600 metros acima do nível do mar. A cidade está imersa na cadeia de montanhas dos Andes, dentre elas o imponente monte Ilimani, considerado por muitos o guardião da cidade.

DIA 2 | LA PAZ

Após o café da manhã, nos reuniremos com o fotógrafo Edson Vandeira para um briefing detalhado sobre o dia a dia da viagem. A tarde faremos uma saída para exercitarmos a fotografia de rua, explorando alguns dos locais mais tradicionais da cidade, como o Mercado de las Brujas. Nosso principal objetivo hoje é a aclimatação visando o restante da viagem, pois na região do Deserto da Bolívia devemos chegar a cerca de 5.000m de altitude.

DIA 3 | LA PAZ E ARREDORES

Continuando o nosso processo de aclimatação, faremos uma saída pelos arredores da cidade de La Paz com foco nas belas paisagens da região. De acordo com as condições climáticas, o fotógrafo escolherá as melhores locações para as atividades do dia. Após café da manhã, sairemos para explorar os arredores de La Paz, uma região cercada por belas paisagens. O dia de hoje é parte importante para nossa aclimatação antes de seguirmos para Uyuni e deserto da Bolivia, onde passaremos por regiões localizadas a cerca de 5.000 metros acima do nível do mar.

DIA 4 | LA PAZ – UYUNI – DESERTO DA BOLÍVIA

Pela manhã, seguiremos até o aeroporto de La Paz para embarque com destino a Uyuni, a porta de entrada para o famoso Salar Boliviano. Chegada e embarque em veículos 4×4 privativos para iniciarmos a jornada ao deserto da Bolívia e Salar de Uyuni. O Salar é o maior e mais alto deserto de sal do mundo, localizado a uma altitude média de 3.600 metros acima do nível do mar. Uma planície que parece não ter fim, num harmonioso encontro entre o céu e a terra. Em uma imagem de satélite, é fácil encontrar esse lugar: uma enorme mancha branca no sudoeste da Bolívia, próximo à Cordilheira dos Andes. Seus cenários únicos muitas vezes proporcionam a ilusão de ótica de estarmos flutuando no céu. Aproveitaremos ao máximo a luz do fim do dia para fotografar este local paradisíaco.

DIAS 5 E 6 | DESERTO DA BOLÍVIA E SALAR DE UYUNI

Dias totalmente dedicados a fotografar as belezas do Deserto da Bolívia e Salar de Uyuni. Esse lugar tão surreal foi formado há milhares de anos, a partir de um lago pré-histórico, que, um dia, foi um braço do oceano. Como a água desse lago secou por conta das condições do clima, sobrou uma enorme crosta de aproximadamente 10 bilhões de toneladas de sal. Teremos uma enorme variedade de locais para fotografar e o líder da expedição Edson Vandeira definirá a programação de cada dia com base nas condições climáticas e de logística. Algumas locações que pretendemos conhecer e fotografar são:

– Lagunas: Laguna Verde e a Laguna Blanca, localizadas a cerca de 4.000 metros de altitude e próximas da fronteira com o Chile. Em pleno deserto, a Laguna Verde tem águas em um tom que lembra praias caribenhas e que fica mais intenso quando o céu está sem nuvens. Com uma coloração mais clara, a Laguna Blanca funciona como um espelho que reflete as montanhas ao redor. Já a Laguna Colorada é conhecida pelos incríveis tons avermelhados de suas águas e por ser o habitat de centenas de flamingos e algumas outras espécies.

– Árvore de Pedra e Deserto de Dalí: A estrutura rochosa chamada de “Árvore de Pedra” é encontrada em meio a uma grande e árida porção do deserto boliviano. Sua estrutura tomou forma ao longo de muitos anos pela ação do vento, tornando-se um símbolo da região. Sem dúvida a árvore de pedra é uma locação perfeita para a prática da fotografia noturna. Já o Deserto de Dalí também possui rochas e montanhas incríveis, com diferentes cores e tonalidades. A paisagem aqui lembra alguns quadros de Salvador Dalí e a população diz mesmo que o local serviu de inspiração ao artista espanhol.

– Isla Incahuasi: Esta uma formação rochosa coberta por cactos gigantes no meio do Salar de Uyuni parece uma ilha no meio de um mar de sal, formando um verdadeiro oásis. Do alto da ilha, acessado por uma trilha, passamos por cactos centenários com até 10 metros de altura até chegarmos ao ponto em que temos uma vista panorâmica do Salar.

– Gêiseres: Ótimos lugares para visitarmos bem cedo devido a maior atividade dos vapores quentes e gases liberados pelos gêiseres, localizados entre crateras e pedras. Um verdadeiro campo geotérmico formando mais uma paisagem surreal do deserto.

DIA 7 | SALAR DE UYUNI – LA PAZ

Teremos mais um dia intenso explorando a região do Salar, aproveitando desde a primeira luz do dia ao entardecer, antes de seguirmos para o aeroporto de Uyuni para embarque de retorno a La Paz. Chegada, recepção e traslado ao hotel.

DIA 8 | LA PAZ

Dia livre para descanso, atividades individuais ou análise do material fotográfico produzido junto ao fotógrafo Edson Vandeira. Também teremos tempo para os últimos preparativos visando o trekking na Cordilheira Real, que terá início no dia seguinte.

DIA 9 | LA PAZ – CORDILLERA REAL

Após o café da manhã, seguiremos e carro até o local do início da trilha. Já aclimatados, caminharemos por cerca de duas horas até o nosso ponto de pernoite a uma altitude de 4.650 metros. Dormiremos em barracas de frente a uma belíssima laguna chamada Chiarkota, proporcionando também a composição ideal para fotos noturnas. A Cordillera Real está localizada no Altiplano Boliviano e sua extensão de 150km liga os arredores de La Paz até a região do Lago Titicaca. A partir desse dia teremos o auxílio de mulas, que levarão todo o material durante o período do trekking, Assim, poderemos caminhar com pouco peso desfrutando ainda mais dessa experiência numa das regiões de montanha mais belas da América do Sul.

DIA 10 | CORDILLERA REAL

Faremos uma ascensão até o Pico Áustria, com 5.320m, passando por locais de paisagem diversificada, além do acesso a um local com vista panorâmica da Cordilheira Real e das lagunas ao redor. Uma ótima oportunidade para quem está começando no montanhismo, pois trata-se de uma caminhada em altitude sem dificuldade técnica. No fim da tarde, seguiremos de carro até um aconchegante e autêntico refúgio de montanha para pernoite aos pés do Huayna Potosi, uma belíssima montanha de 6.088m.

DIA 11 | CORDILLERA REAL – LA PAZ

Pela manhã bem cedo, teremos uma sessão de fotos opcional bem de frente para o refúgio, aproveitando os primeiros raios de luz nas montanhas. Retorno para o café da manhã e tempo livre para apreciarmos o local com sua vista panorâmica. Após o almoço, iniciaremos o retorno de carro até La Paz, chegando a capital no final do dia.

DIA 12 | LA PAZ – EMBARQUE

Dia livre até o check-out. De acordo com o horário do voo, traslado ao aeroporto, de onde nos despediremos com ótimas recordações.

FIM DOS SERVIÇOS

GALERIA DE FOTOS

Fotos: Edson Vandeira. Todos os direitos reservados.

MAIS INFORMAÇÕES

   HOSPEDAGEM

LA PAZ: Hotel de categoria 4 estrelas
SALAR DE UYUNI: Hotel de categoria 3 estrelas
DESERTO DA BOLÍVIA: Refúgio privativo ao grupo com banheiro compartilhado e banho quente
CIDADE DE UYUNI: Hotel de categoria 3 estrelas
CORDILLERA REAL: Refúgio privativo ao grupo com banheiro compartilhado e banho quente (1 noite) e barracas individuais (1 noite)

INCLUI

  • 11 noites de hospedagem sendo 5 com café da manhã, 2 com meia pensão e 4 com pensão completa
  • Traslados in/out em La Paz privativos ao grupo para os horários de voo selecionados pela OneLapse
  • Transporte privativo ao grupo para todas as locações descritas no roteiro com motorista/guia falando espanhol
  • Acompanhamento do fotógrafo Edson Vandeira durante todo o roteiro com orientações sobre a parte fotográfica de acordo com o objetivo de cada participante
  • Acompanhamento de guia de montanha local experiente e credenciado durante a trilha, além do apoio de mulas para o transporte das bagagens
  • Acompanhamento de coordenador operacional brasileiro para grupo a partir de 8 participantes
  • Todas as permissões locais necessárias
  • Seguro viagem April – Max 60 Mundo

NÃO INCLUI

  • Passagens aéreas e taxas de embarque
  • Early check-in e Late check-out
  • Equipamento de fotografia e trekking
  • Despesas com transporte, acomodação, alimentação, etc em caso de retorno antecipado da trilha por questões físicas
  • Excesso de bagagem nos voos internos (franquia de 20kg por pessoa)
  • Bebidas e refeições não mencionadas no roteiro
  • Despesas pessoais e gorjetas

OBSERVAÇÕES

  • Esta viagem é destinada a todos os entusiastas do montanhismo e da fotografia, de iniciantes a profissionais, não havendo pré-requisito para inscrição, como nível de conhecimento ou equipamento fotográfico. Também é indicada a quem procura por uma experiência de vida e imersão na cultura/natureza de um dos destinos mais emblemáticos da América do Sul. As orientações do fotógrafo e guia serão feitas de acordo com o objetivo de cada participante;
  • Os preços estão em dólares americanos (US$) e por pessoa. A conversão para o Real levará em consideração o câmbio turismo no dia do pagamento, conforme cotação do Valor Econômico;
  • O roteiro pode sofrer alterações após o início da viagem devido às condições climáticas e/ou caso o fotógrafo responsável considere necessário para garantir o melhor aproveitamento do tempo;
  • Para essa viagem, os brasileiros necessitam de passaporte ou RG em bom estado, além do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela;
  • Altitude máxima alcançada durante a expedição: 5.320 m. Consulte o seu médico antes da inscrição.

EQUIPAMENTOS FOTOGRÁFICOS RECOMENDADOS

  • Câmera fotográfica DSLR ou Mirrorless
  • Cartões de memória
  • Lentes de 17mm a 400mm
  • Tripé
  • Cabo disparador

* Em caso de dúvidas, clique aqui e veja nosso FAQ.

QUER SE INSCREVER OU TEM DÚVIDAS?

PARTE TERRESTRE – VALORES POR PESSOA

POR PESSOA EM ACOMODAÇÃO DUPLA:

US$ 3.390,00*

SUPLEMENTO VOLUNTÁRIO PARA QUARTO INDIVIDUAL: US$ 500,00*

DEPÓSITO NO MOMENTO DA INSCRIÇÃO: R$ 2.500,00**

DESCONTO PARA OS 06 (SEIS) PRIMEIROS INSCRITOS: R$ 700,00

Forma de Pagamento
  • A vista em depósito com 5% de desconto
  • 30% de entrada + saldo em até 4x sem juros no Visa/Master

 

* Devido a limitação de estrutura em alguns locais do roteiro, a opção por quarto individual é garantida apenas em La Paz, na cidade de Uyuni e na noite em barraca durante a trilha, ou seja, um total de 8 das 11 noites do roteiro. Caso o grupo seja fechado e não haja um participante do mesmo sexo para dividir o quarto duplo, deverá ser pago um suplemento involuntário no valor de US$200,00. Este valor deverá ser pago a vista 72h antes do início dos serviços.

** Esta viagem exige um número mínimo de participantes para que o grupo seja confirmado. No momento da inscrição, deverá ser pago um sinal como garantia de inscrição no valor de R$2.500,00 por pessoa, sendo que este sinal não é reembolsável em caso de desistência da viagem e não pode ser utilizado como crédito para outro destino. A confirmação ou não da saída será feita no dia 30/06/2019 ou antes, caso já tenhamos atingido o número mínimo de participantes. Confirmando o grupo, o valor será abatido da entrada e caso o mesmo não seja confirmado, o valor será integralmente devolvido.

Voos Internacionais

Chegada a La Paz no dia 18 de agosto. Embarque de retorno ao Brasil a partir de La Paz no dia 29 de agosto. Consulte-nos para cotação e reserva das passagens aéreas.