Indochina | Tesouros do Sudeste da Ásia

Um pouco sobre a nossa intensa vivencia fotográfica em meio a séculos e mais séculos de rica história.

Vietnã e Laos - 2017

Érico Hiller

Autor

Érico Hiller atua como fotógrafo documental independente e colabora para publicações como National Geographic Brasil, Rolling Stone e Marie Claire. Seus projetos de exposições e livros apresentam temática humanitária e ambiental.

A OneLapse nos levou para a Indochina em maio de 2017. Foi uma expedição memorável, em que variamos muito bem momentos de união, reflexão e discussões sobre diferentes pontos de vista fotográficos. Entre caminhadas nas caóticas ruas de Hanói, no Vietnã, e paisagens de tirar o fôlego, como a baía de Halong e suas inúmeras ilhas de pedras calcárias, os dois grupos que nos acompanharam puderam executar a fotografia documental em diferentes níveis de imersão, seja num passeio de barco, de onde nossa perspectiva depende do seu movimento, até por exemplo a manhã mágica quando encontramos uma família de camponeses em Ninh Bihn.

Com a vegetação verde das plantações de arroz ao fundo, fomos desbravando aos poucos as diferentes e impactantes paisagens pelo interior do Vietnã, Depois de passarmos por Hanói, Halong Bay e Ninh Binh, foi a vez de explorarmos a isolada e surpreendente Sapa, cidade ao norte, perto da China, onde tivemos contato com as etnias que lá vivem e nos fascinaram tanto pelo seu modo de vestir como pelo terraços que constróem há séculos para suas plantações de arroz. Impressionante. Um dos momentos que mais me marcaram nessa jornada foram os 15 minutos mágicos de uma intensa neblina, já de noite, que nos proporcionou fotos que nunca podíamos imaginar.

Do Vietnã, fomos para o Laos, conhecer a exuberante cidade de Luang Prabang. Apesar do forte calor, nos instalamos em um hotel lindo em uma colina, com uma piscina que era um espelho d’água infinito, que sumia no horizonte. Esta pequena cidade é um tesouro do país, antiga colônia francesa e que preserva bem seu povo, costumes e arquitetura. Ainda conseguimos ver os Citroens antigos pelas ruelas e logo cedo acompanhamos a cerimônia em que os monges coletam as doações de alimentos oferecidos pelos moradores. Visitamos jovens monges durante a aula, nos banhamos com elefantes no Rio Mekong e, por fim, nadamos da cascata Kuang Si (com sua água azul cristalina), a mais linda que já vi na vida.

Eu sempre costumo dizer que quanto mais intendo é o nosso envolvimento em uma expedição como esta, mais ricas costumam ser as fotos. Voltamos de lá mais maduros, melhores e com muitas novas fotos para levarmos pra sempre. Fora isso, claro, amizades que esperamos ver nas próximas viagens.

Érico Hiller

FOTOS DA EXPEDIÇÃO

Fotos: Érico Hiller. Todos os Direitos Reservados.