(11) 2528-9181contato@onelapse.com.br

PANTANAL

/ PANTANAL

EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA – PANTANAL NORTE

COM LUCIANO CANDISANI (NATIONAL GEOGRAPHIC)

26 DE JULHO A 02 DE AGOSTO – ESGOTADO

o fotógrafo

Dedicado a contar histórias da natureza há 18 anos, o fotógrafo brasileiro Luciano Candisani é reconhecido pelo estilo peculiar de trazer a informação documental em composições de forte poder estético. A ligação espécie-ambiente nos grandes espaços naturais do planeta está no cerne de sua busca criativa, aparecendo fortemente ao longo de toda a sua obra.

Candisani produz reportagens fotográficas  sobre biodiversidade, conservação e populações tradicionais  para importantes publicações no mundo, notadamente a edição principal da  National Geographic. Seus trabalhos para essa revista centenária receberam prêmios internacionais importantes, como o prestigioso Wildlife photographer of the year, de 2012. E pela edição brasileira de National Geographic, com a qual colabora desde 2000, o fotógrafo publicou dezenas de matérias, 6 delas reconhecidas pelo prêmio Abril de Jornalismo.

Suas pautas  o levaram a alguns dos lugares mais remotos do mundo, tais como a Antártica, Patagônia, Amazônia, Atol das Rocas, Ilhas Darwin e Wolf , Ilhas Malvinas e Filipinas. Em 1998, passou 7 meses a bordo do veleiro Aysoo, em expedição pela Patagônia e Terra do Fogo. Essas andanças resultaram em uma produção que inclui 7 livros fotográficos, centenas de matérias, exposições, workshops, palestras, textos e entrevistas no Brasil e exterior.

Para saber mais sobre Luciano Candisani, acesse sua página oficial ou seus perfis no Facebook e Instagram.

O DESTINO

No Pantanal, maior planície inundável do planeta, o nível da água dita o ritmo da vida. Ao subir, alimentado pelas chuvas do verão, o Rio Paraguai e seu afluentes transbordam sobre as vastas terras ao redor. A paisagem muda. Campos de gramíneas transmutam-se em leitos aluviais e plantas aquáticas brotam do chão. Surgem jardins submersos frequentados por miríades de peixes e jacarés. Espécies de terra firme, como onças, catetos e veados seguem para o exílio sazonal nas matas de capões e cordilheiras ligeiramente mais altas, imunes ao avanço da cheia. Mas mesmo esses animais de ambientes secos, em alguma medida, frequentam a água. Nadam, mergulham, flutuam. Bichos – e homens – tornam-se anfíbios quando a grande planície do Brasil central vira um mar interior. E depois, nos meses de estiagem, quando o sol abrasador da cabo da água, voltam a existência terrestre, naturalmente.

Esse ciclo hídrico peculiar e suas implicações na vida sempre me fascinou. Como fotógrafo, contador de histórias da natureza, visito com frequência o Pantanal há muitos anos. Minha estreia foi ainda na década de 1990, com uma pauta sobre a arara azul e a sua protetora, a pesquisadora Neiva Gudes. Seguiram-se várias outras. Estive com as onças, ariranhas, antas, arraias, tamanduás. E os jacarés me levaram a mergulhos em rios e vazantes. Fiquei cara a cara com eles debaixo d’água, no ambiente onde pouco tinham sido documentados, uma abordagem inédita de um animal comum. O resultado do trabalho percorreu o mundo nas páginas da edição principal de National Geographic, que também publicou o livro “Pantanal na Linha d’água”, uma jornada visual por meio da minha abordagem particular da grande planície.

Continuo viajando ao Pantanal com o mesmo interesse do início. A região figura como um dos últimos grandes espaços naturais remanescentes no planeta e as ameaças a essa condição não são poucas. Há pouco sobrevoei o dramático assoreamento das nascentes do Paraguai, na Chapada dos Parecis. No outro extremo, porém, a esperança se renova em iniciativas criativas de conservação da biodiversidade na região. Histórias que precisam ser contadas. Temas que ainda me empolgam e motivam.

Em julho próximo, planejo dedicar mais tempo a investigar uma história fascinante: as onças na região do Parque Estadual do Encontro das Águas, no Mato Grosso. Lugar único. Nenhum outro local oferece melhores oportunidades de avistagem do maior felino das américas em seu ambiente natural. A frequência de encontros impressiona. Certa vez fiquei de “sol a sol” com uma fêmea adulta, encontrada cedinho em uma praia de areia branca. Também presenciei ataques e namoros. Descansos e mergulhos. Tenho uma foto da onça bebendo água. E, por muito pouco, perdi a cena da mãe onça atravessando o rio com seu minúsculo filhote na boca.

Nessa viagem de julho, não vou sozinho com um assistente, como de costume. O plano é compartilhar a expedição com mais entusiastas da fotografia. É uma nova fase do meu trabalho, até então marcado por longas andanças solitárias. Ano passado, levei – a convite da OneLapse – dois grupos para fotografar comigo na África, numa experiência que não poderia ter sido mais positiva. Ótima a sensação de compartilhar, em campo, minhas experiências, erros, acertos e soluções acumulados em quase vinte anos como profissional das narrativas visuais na natureza. Também nunca aprendi tanto. Foi fácil aceitar o desafio de participar de outras experiências do tipo e o Pantanal surgiu como escolha natural. Decidimos fazer em julho, o auge da temporada das onças. E contratamos como guia de campo o Ricardo Casarin, com 10 anos de experiência no local. É um planejamento para maximizar nossas oportunidades de fotografar onças, ariranhas, jacarés, aves e as demais espécies que fazem do Pantanal Norte um dos melhores pontos para a observação de fauna nas Américas.

Luciano Candisani

roteiro detalhado

LEGENDA:
(C) Café da manhã incluído
(A) Almoço incluído
(J) Jantar incluído

DIA 1 | CUIABÁ (J)
Chegada no aeroporto de Cuiabá. Recepção e traslado ao confortável Hotel Gran Odara, localizado próximo ao aeroporto Marechal Rondon. Em horário a ser definido, nos reuniremos para um briefing completo da expedição fotográfica. E, para o jantar, nos deslocaremos até o restaurante Ricardo’s, conhecido pela excelente qualidade de seus pratos típicos e peixes da região. Pernoite.

DIA 2 | CUIABÁ – POCONÉ (C, A, J)
Após o café da manhã, seguiremos em direção à famosa estrada Transpantaneira que se inicia na cidade de Poconé, a cem quilômetros de Cuiabá. Essa histórica via de acesso ao Pantanal é também um excelente ponto de observação de fauna. Construída na década de 70, tem 145km e 122 pontes. Ao longo desse percurso há uma grande concentração de animais nas margens da estrada, tais como jacarés, tuiuiús, garças e muitos outros. Chegaremos à pousada Piuval para check-in e almoço. A tarde, sairemos para os campos da Piuval em busca de oportunidades de fotografar animais, especialmente aves. Para nos auxiliar na tarefa de encontrar as aves emblemáticas da região, contaremos com a experiência do Ricardo Casarin, renomado guia-naturista especializado no ecossistema Pantaneiro. Ele já está monitorando um ninho de Arara azul no local. Com sorte, poderemos fotografar uma fêmea da espécie na boca da cavidade onde nidifica. Antes do jantar, teremos uma palestra do fotógrafo Luciano Candisani, que apresentará seu trabalho e as motivações criativas por trás das suas narrativas visuais na natureza, com ênfase nas inúmeras que ele já produziu no Pantanal. Candisani também dedicará parte do tempo a discussão de técnicas de fotografia úteis na nossa expedição. Pernoite.

DIA 3 | POCONÉ – PORTO JOFRE (C, A, J)
O café da manhã será servido bem cedo, por volta das quatro da manhã. Em seguida , sairemos para um local à margem do Rio Pixain com o objetivo de fotografar o mergulho de garças e gaviões em busca de peixes. Além da possibilidade de produzirmos ótimas imagens do comportamento das aves, como muita ação, essa parada nos proporciona a oportunidade de praticar as técnicas de foco e exposição em situações dinâmicas, que serão muito utilizadas ao longo de toda a viagem , sobretudo com as onças. Ainda no meio da manhã, sairemos de barco pelo Rio Pixain com o objetivo de fotografar ariranhas e belas paisagens, O almoço será servido no Hotel Pantanal, localizado à margem do Rio Pixain. Após a refeição e um descanso, seguiremos em direção ao Porto Jofre, localizado às margens do Rio Cuiabá, a oitenta quilômetros de distância. É o final da Transpantaneira. Ao longo do caminho poderemos parar para aproveitar boas oportunidades de fotografia com a bela luz do entardecer. Chegaremos ao agradável Hotel Porto Jofre para o jantar. Pernoite.

DIAS 4, 5 e 6 | PORTO JOFRE & REGIÃO (C, A, J)
Passaremos os próximos três dias e meio explorando os rios dessa região peculiar do Pantanal. Nosso objetivo principal será fotografar o maior felino das Américas, a onça pintada. A bordo de uma embarcação rápida e confortável, com motor de 100 HP, percorreremos os rios Cuiabá, Piquiri, e Três Irmãos, além dos corixos, – pequenos canais interligando rios principais. Teremos a bordo rádios de comunicação VHF sintonizados com outras embarcações para maximizar as nossas chances de encontrar as onças em boas condições para a fotografia.

Poucas experiências na natureza superam em emoção um encontro com a onça-pintada em seu ambiente natural. Faremos todos os esforços para fotografá-las, mas também estaremos atentos as outras grandes possibilidades que a belíssima região pode nos oferecer. Ariranhas, antas, aves, jacarés e muitas outras espécies também estão na nossa lista de desejos.

Durante o nosso período no Porto Jofre, sairemos de barco após o café da manhã e retornaremos para o almoço no hotel. A tarde, após um breve descanso, faremos nova saída até o por do sol. Após o jantar, o fotógrafo Luciano Candisani estará disponível para a revisão das fotografias produzidas. A área do hotel Porto Jofre é grande e rica em fauna. Nos momentos livres, antes do café da manhã ou após o almoço há vários pontos interessantes para a fotografia, como é o caso do lago repleto de vitórias-régias e as palmeiras frequentadas pelas araras azuis.

DIA 7 | PORTO JOFRE – POCONÉ (C, A, J)
Logo após o café da manhã, faremos nossa última saída para o rio. Voltaremos para o almoço no Porto Jofre e, no início da tarde, retornaremos direto a pousada Piuval, a tempo de um breve descanso antes de um churrasco tipicamente pantaneiro. Pernoite.

DIA 8 | POCONÉ – CUIABÁ – EMBARQUE (C, A)
Após o café da manhã, sairemos para fotografar peões em atividade nos campos da fazenda, uma parte muito simbólica da cultura pantaneira. Logo depois, faremos check-out e seguiremos por cerca de 2 horas até um restaurante, em Cuiabá. Após o almoço, traslado ao aeroporto Marechal Rondon, de onde nos despediremos com ótimas recordações.

FIM DOS SERVIÇOS

GALERIA DE FOTOS

observações

  • O roteiro pode sofrer alterações de acordo com as condições climáticas ou caso o fotógrafo/guia julgue necessário;
  • A confirmação ou não da saída será feita dia 09/06/2017 ou antes, caso já tenhamos atingido o número mínimo de participantes.

hospedagem

CUIABÁ: Hotel Gran Odara
PORTO JOFRE: Hotel Porto Jofre
TRANSPANTANEIRA: Pousada Piuval

parte terrestre - valores por pessoa

POR PESSOA EM APTO DUPLO: R$11.490,00*
SUPLEMENTO PARA APTO INDIVIDUAL: R$1000,00**

DEPÓSITO NO MOMENTO DA INSCRIÇÃO: R$2.000,00***

* Caso o grupo seja fechado sem que haja uma companhia para dividir o apto duplo, deverá ser pago um suplemento involuntário no valor de R$500,00 72h antes do início dos serviços;
** Devido a limitação no número de quartos disponíveis nos hotéis/pousadas, serão poucas as vagas disponíveis em apto individual;
*** Até que a saída esteja confirmada com o número mínimo de 10 participantes, deverá ser depositado um sinal no valor de R$2.000,00. O valor será abatido da entrada logo após a confirmação da saída. Caso a saída não se confirme, o valor será integralmente devolvido. Se houver desistência da viagem por parte do participante, o valor será integralmente retido. Não é permitido transferir o sinal para outra viagem com inscrições abertas.

formas de pagamento

  • A vista com 5% de desconto em depósito
  • 5x sem juros (30% de entrada em depósito + 4x sem juros no Visa ou MasterCard)

inclui

  • 08 dias / 07 noites de hospedagem com pensão completa
  • Transporte privativo ao grupo durante toda a viagem
  • Água mineral durante as saídas de barco
  • Acompanhamento do fotógrafo Luciano Candisani com instruções para a parte fotográfica durante todas as saídas, além do guia local Ricardo Casarin, ambos com grande experiência na região.
  • Seguro viagem GTA – Plano Nacional 30.000

não inclui

  • Passagens aéreas
  • Early check-in e Late check-out
  • Bebidas durante refeições
  • Equipamento de fotografia
  • Despesas pessoais e gorjetas

equipamentos recomendados

  • Câmera fotográfica
  • Cartões de memória
  • Tripé
  • Lentes de 17mm a 400mm
  • Filtro polarizador
  • Cabo disparador

* Em caso de dúvidas, entre em contato conosco.

voos internacionais

Chegada a Cuiabá no dia 26 de julho em qualquer horário com check-in a partir do meio dia. Embarque de retorno no dia 02 de agosto em voo a partir das 15:00h.

QUER SE INSCREVER OU TEM DÚVIDAS? ENTRE EM CONTATO

——————————————————————————————————-————————————————————-

Preencha os campos abaixo:

Nome*:

Email*:

Telefone

Mensagem*: