DE KATMANDU AO CAMPO BASE DO EVEREST – O MAIS COBIÇADO TREKKING DA CORDILHEIRA DO HIMALAIA

“No final de outubro faremos, pela primeira vez, um trekking pelas montanhas do Himalaia. Será a abertura de um novo segmento das expedições fotográficas, desta vez na área do montanhismo. E não poderíamos escolher melhor um roteiro do que o trekking ao Campo Base do Everest, o sonho de qualquer aventureiro. Os entusiastas da montanha e da fotografia poderão desfrutar de uma dessas viagens que têm o poder de transformar sua vida, o que já aconteceu com muitas pessoas.

Nossa viagem começará pela caótica e vibrante Katmandu, capital do Nepal, uma megalópole com cerca de 1 milhão de habitantes. Cidade agitada, suas ruas, mercados e templos estão sempre repletos de viajantes de várias partes do mundo e de nepaleses em seus trajes multicoloridos. Esse ambiente fará com que o grupo entre no clima logo de cara. Thamel, o bairro mais turístico da cidade, é a meca dos montanhistas e respira esse tipo de atividade.

Em Katmandu, localizada a cerca de 1.400 metros de altitude, faremos nossa primeira preparação para o trekking com um briefing detalhado e a compra dos últimos equipamentos. No terceiro dia pegaremos um avião e, depois de 45 minutos contemplando as montanhas mais famosas do planeta, chegaremos a Lukla, a cerca de 2.800 metros de altitude. A partir dali começaremos a caminhada em direção ao campo base do Everest, localizado a mais de 5.000 metros do nível do mar, de onde partem os alpinistas que encaram o enorme desafio de atingir o cume do Everest. O roteiro foi desenhado cuidadosamente, incluindo dois dias inteiros de aclimatação para nos adaptarmos à altitude. Em média, serão sete horas de caminhada por dia. Cada viajante terá de levar apenas os itens a serem usados durante o dia, além do equipamento fotográfico. Seis carregadores locais ficarão responsáveis pelo transporte montanha acima dos itens mais pesados. Ficaremos hospedados em lodges que são normalmente casas de moradores locais adaptadas para receber os viajantes durante a temporada de trekking.

Essa rota promete muitas surpresas positivas ao nosso grupo. Entre elas a possibilidade de fotografar etnias locais, antigos monastérios e caminhar praticamente o tempo todo ao lado das montanhas mais altas do mundo. Durante o trekking, poderemos também perceber a mudança da paisagem. No início, a trilha é feita em meio a muito verde, passando por grandes florestas de pinheiros. Depois, conforme a altitude se eleva, o cenário se transforma, tornando-se, primeiro, mais árido. Depois, mais pedregoso. Por fim, muito gelo. Nesse cenário não faltarão boas oportunidades para fazer fotos ao nascer ou pôr do sol, durante o dia ou mesmo à noite. Além disso, estarei disponível para orientar todos os membros do grupo em relação a técnicas de fotografia, a depender do objetivo de cada um.

Se você ainda tem alguma dúvida, o retorno a Katmandu reserva uma grande surpresa: será feito de helicóptero num voo de cerca de uma hora, proporcionando a visão de dias de caminhada por um novo ângulo e em poucos minutos. Com certeza, será mais uma chance espetacular para se despedir das majestosas montanhas do Himalaia.

Sou alpinista e guia profissional de montanha, tendo trabalhado nesta área desde 2008. Além disso, vou usar minha experiência em fotografia de aventura e natureza para ajudar o nosso seleto grupo a desenvolver o olhar diante dos desafios da trilha, mas ao mesmo tempo tendo a favor alguns dos cenários mais espetaculares do planeta. Tenho certeza de que a união desses fatores, além de um roteiro especialmente preparado pela OneLapse, fará com que a nossa viagem seja das mais empolgantes. É importante lembrar também que, para fazer essa expedição, não é preciso ter qualquer tipo específico de conhecimento em técnicas fotográficas nem ser um montanhista experiente. Alguns fatores, porém, não podem faltar: disposição para horas de caminhada diária, claro, e seguir algumas regras para adaptar o nosso organismo a altitude de até 5.590m que será alcançado gradativamente.”

 

Edson Vandeira

 

Clique aqui e confira a Galeria completa de fotos

CONFIRA OS VALORES E CONDIÇÕES

Cristiano Xavier

Fine Nature Photography

A fotografia é fascinante e capaz de mudar a vida de muitas pessoas. Foi o que aconteceu com Cristiano Xavier, mineiro, nascido em Belo Horizonte há 43 anos. Sempre gostou de fotografar, mas, como profissão, havia abraçado a odontologia. Cristiano começou a fotografar em 1998 e, para ele, a fotografia de natureza era mais um hobby, embora um hobby levado muito a sério. Naquele final da década de 1990, Cristiano estudou muito e devorava todos os livros e revistas que tratavam do assunto e apareciam na sua frente. Dessa forma, como autodidata, começou a aprender e a desenvolver as principais técnicas de fotografia.

Até que, em 2002, resolveu se aprofundar no assunto e partiu para os Estados Unidos, mais especialmente para o Palm Beach Photographic Centre, onde teve a oportunidade de conhecer a obra de importantes fotógrafos americanos. Quando, após um ano, retornou ao Brasil tomou uma decisão que mudaria sua vida para sempre: trocou definitivamente o avental, as luvas e os equipamentos odontológicos pelas câmeras, flashs e lentes fotográficas. Largou o consultório para se dedicar exclusivamente à fotografia. Depois de algum tempo, em Belo Horizonte, abriu um estúdio, onde produzia fotos industriais, still, retratos, entre outras demandas comerciais.

Durante esse período, mesmo com o estúdio em funcionamento, Cristiano nunca deixou de viajar e de fotografar a natureza, tendo como inspiração renomados fotógrafos da área, como o americano Art Wolfe e os brasileiros Fábio Colombini e Luciano Candisani. E mais recentemente outros nomes como Marc Adamus, Ian Plant, Joseph Rossbach, Christian Lim e Iurie Belegurshi, que se tornaram amigos.

Mesmo bebendo na fonte de grandes mestres, Cristiano Xavier desenvolveu uma linha própria de trabalho, mais direcionada à valorização da estética e às imagens que registram a beleza da natureza, levando em conta a composição do ambiente e da luz. Seu olhar busca captar aquela imagem que emociona, que impacta e que ao mesmo tempo está conectada com sua alma. Além disso, Cristiano desenvolveu um estilo especial para fotos noturnas, uma de suas áreas favoritas.

A partir de 2013, como um dos sócios fundadores da OneLapse, também passou a viajar ao redor do mundo liderando grupos de entusiastas da fotografia. Para ele, estas viagens são oportunidades únicas para a interação de vários olhares ao mesmo tempo e para que haja uma intensa e rica troca de experiências entre os participantes. Afinal, todos estão juntos respirando fotografia 24 horas por dia.

Segundo Xavier, estas viagens são essenciais para quem deseja fazer uma imersão na arte de fotografar. Para isso, basta estar aberto a novas experiências e entrar no clima da expedição. Tudo isso, segundo ele, é fundamental para que os resultados das fotos sejam cada vez melhores, como mostra suas imagens captadas em vários destinos, como Yukon (Canadá), Ilhas Lofoten (Noruega), Namíbia, Irã, Patagônia, Cuba, Peru, Islândia, Tanzânia, Nepal, Butão, entre outros.

Clique aqui e saiba mais sobre o Fotógrafo.

DIA A DIA

LEGENDA

  Café da manhã incluído
  Almoço incluído
  Jantar incluído

DIA 1 | KATMANDU

Chegada ao aeroporto internacional de Katmandu. Recepção e traslado ao hotel para check-in. A noite, nos reuniremos com o fotógrafo e guia da viagem Edson Vandeira para um briefing detalhado sobre a expedição. Katmandu, a capital do Nepal, é hoje uma espécie de praça do mundo. A cidade cresceu tanto e de forma tão caótica que espalhou-se por todo o vale, listado como patrimônio da humanidade pela Unesco. Na alta temporada é fácil esbarrar com alpinistas de todo o mundo nos restaurantes, bares da cidade, ou nas ruas estreitas de Thamel, o bairro mais turístico e que respira montanhismo.

DIA 2 | KATMANDU

Kathmandu possui diversas atrações. Após o café da manhã, sairemos pela cidade para explorar seus mais impressionantes monumentos, como os templos Pashupatinath (mais importante templo hindú do país), o Templo Swayambhunath (também conhecido como Templo dos Macacos) e a Bouddhanath Stupa (a mais importante do país para os budistas). Ainda visitaremos Patan, cidade conhecida pelas artes e cercada por construções do século III e seu famoso Durbar Square com diversos templos. Retorno ao hotel no fim da tarde e pernoite.

DIA 3 | KATMANDU – LUKLA – PHAKDING, 2652m

Pela manhã, tentaremos embarcar em um dos primeiros voos para Lukla (2800m/45 min), nosso ponto de partida na trilha que nos levará até a base do Everest. O voo já é um atrativo a parte, pois proporciona uma linda vista da Cordilheira do Himalaia e um pouso, no mínimo, peculiar na encosta das montanhas. Após a chegada, encontraremos com os porters, que nos ajudarão no transporte dos equipamentos, e faremos então a primeira caminhada até o vilarejo de Phakding. No caminho, passaremos por um check point do exército para apresentarmos a documentação que nos permite acessar as trilhas do Vale do Khumbu. Noite livre para descanso e acomodação em lodge.

DIA 4 | PHAKDING – NAMCHE BAZAAR, 3440m

Pela manhã, após um café reforçado, seguiremos o curso do vale Dudh Kosi, caminharemos por fabulosas florestas de pinheiros gigantes até um enorme vale aos pés da montanha Thamserku e entrada para o Parque Nacional Sagamartha. Em seguida, temos uma caminhada em ziguezague ao longo do rio Bhote Kosi. Atravessaremos o rio por uma ponte até chegar a um ponto em que teremos a primeira emocionante vista do Monte Everest. O verde toma conta da trilha nos primeiros dias e perceberemos a mudança gradual de cenários na medida em que ganhamos altitude. No fim do dia, chegaremos ao vilarejo de Namche Bazaar, o maior e principal do Vale do Khumbu. Noite livre para descanso. Pernoite em lodge.

DIA 5 | NAMCHE BAZAAR – ACLIMATAÇÃO, 3440m

O dia de hoje será dedicado a aclimatação, para que o nosso organismo se acostume aos poucos com o ganho de altitude. Poderemos caminhar pelas vielas de Namche, comprar algum equipamento ou ítem de vestuário que tenha faltado, bem como fazer algumas caminhadas pelos arredores. Visitaremos o museu dos sherpas, de onde temos também belas vistas das montanhas. De um ponto mais alto, percebemos que o vilarejo possui o formato de uma ferradura e poderemos produzir um bom material fotográfico aqui. Pernoite em lodge.

DIA 6 | NAMCHE BAZAAR – TENGBOCHE, 3870m

Hoje retomaremos o trekking por uma trilha repleta de belíssimas paisagens em direção a Phunki. A segunda metade da trilha é mais acentuada até finalmente chegarmos a Tengboche, com seu famoso mosteiro, após cerca de 7 horas de caminhada. Durante o dia teremos vistas panorâmicas do Himalaia, incluindo as montanhas Kwangde, Tawachee, Everest, Nupste, Lhotse, Kantega, Thamserku e especialmente o Ama Dablam, uma das mais emblemáticas da região e com vista privilegiada desde Tengboche. Aqui está localizado também o maior monastério budista da região, e teremos a oportunidade de participar da cerimônia diária com os monges no fim da tarde. Pernoite em lodge.

DIA 7 | TENGBOCHE – DINGBOCHE, 4360m

“O lugar mais bonito do mundo – Seria difícil um local mais fino para adoração ou contemplação” – é assim que o explorador inglês Bill Tilman descreveu o ponto da trilha próxima a Tengboche, com o Everest majestosamente ao fundo e com o Ama Dablam envolto a um manto de neve fresca. Serão horas de trekking com a companhia de lindas montanhas até a pequena vila de Dingboche. Neste dia ficará mais claro o ganho de altitude pela mudança na paisagem. O verde dará espaço a um cenário mais seco com terra, pedras e gelo, enquanto as montanhas ficam cada vez mais imponentes aos nossos olhos. Dingboche fica muito próximo de Periche, aonde está localizado um hospital utilizado muitas vezes como base de atendimento aos alpinistas que escalam pela região durante as duas temporadas anuais. Pernoite em lodge.

DIA 8 | DINGBOCHE – ACLIMATAÇÃO, 4360m

Mais um dia de aclimatação, agora acima dos 4.000m de altitude. Em uma curta caminhada a partir do lodge, podemos observar do alto os vilarejos de Dingboche e Periche rodeados por diversas montanhas. Podemos aproveitar o dia para fotografar com calma a região e descansar, bem como praticar a fotografia noturna. Pernoite em lodge.

DIA 9 | DINGBOCHE – LOBUCHE, 4940m

O ponto principal da trilha de hoje é o lendário local onde podemos avistar três das seis maiores montanhas do mundo – Lhotse, Makalu e Cho Oyu – num piscar de olhos. Seguiremos pelo Vale do Khumbu, passando pelo já conhecido memorial em homenagem aos alpinistas que morreram tentando o sonho de escalar as maiores montanhas do Himalaia. Horas depois, chegaremos a Lobuche, um dos últimos abrigos no caminho a base do Everest. Poderemos aproveitar o fim da tarde para fotografar ao redor. Pernoite em lodge.

DIA 10 | LOBUCHE – GORAK SHEP – CAMPO BASE DO EVEREST (5340m), 5170m

Hoje seguiremos a oeste do Vale do Khumbu subindo de forma constante ao lado da moraina glacial até o vilarejo de Gorak Shep (Corvo Morto, na língua local). Após o almoço, seguiremos para o glaciar do Khumbu, onde fica localizado o Campo Base do Monte Everest, bem perto da cascata de gelo. Esta é a base de onde partem os alpinistas rumo ao cume da montanha mais alta do mundo! Teremos tempo para explorar a região e fotografar antes do retorno a Gorak Shep para descanso e pernoite no lodge.

DIA 11 | GORAK SHEP – KALA PATHAR (5545m) – KATMANDU

Acordaremos bem cedo para sair do lodge antes do sol nascer. Subiremos o Kala Pathar, de onde teremos, diante dos nossos olhos, uma daquelas imagens deslumbrantes que fica pra sempre na memória: a imagem clássica do Everest, marcando a fronteira entre Nepal e Tibete. Aproveitaremos a primeira luz do dia para fotografar uma das mais clássicas vistas da trilha, sem deixar de reservar um tempo para simplesmente contemplarmos o visual que jamais esqueceremos. Logo depois, vamos descer de volta para Gorak Shep, tomaremos o café da manhã e de lá pegaremos o helicóptero de volta a Katmandu. Esta será uma incrível oportunidade para sobrevoar e visualizar o caminho que fizemos por um novo ângulo, além de deixar a experiência ainda mais completa. Chegada a Katmandu, traslado ao hotel e noite livre.

DIA 12 | KATMANDU

Dia livre para atividades individuais, como compras em Thamel, visita a algum templo da cidade ou ainda programar um salto de bungee jumping próximo da fronteira com o Tibete. Este dia extra também é importante caso o nosso retorno da trilha sofra atraso por algum motivo de força maior.

DIA 13 | KATMANDU – EMBARQUE

Dia livre. De acordo com o horário do voo, traslado ao aeroporto internacional, de onde nos despediremos com ótimas recordações.

FIM DOS SERVIÇOS

GALERIA DE FOTOS

Fotos: Cristiano Xavier/Divulgação. Todos os direitos reservados.

MAIS INFORMAÇÕES

   HOSPEDAGEM

KATMANDU: Hotel Holy Himalaya ou similar
TRILHA: Lodges de montanha

INCLUI

  • 04 noites de hospedagem em Katmandu com café da manhã
  • 08 noites de hospedagem em lodge de montanha durante o trekking
  • Traslados in/out em Katmandu privativos ao grupo
  • Passeios em Katmandu privativos ao grupo com entradas e guia local falando espanhol
  • Acompanhamento do fotógrafo Edson Vandeira durante todo o roteiro com orientações aos participantes sobre a parte fotográfica e de acordo com o objetivo de cada um
  • Acompanhamento de carregador durante a trilha (1 carregador para cada 2 participantes)
  • Acompanhamento de staff brasileiro durante todo o roteiro para a parte operacional
  • Passagens aéreas com taxas para os trechos internos no Nepal, incluindo retorno de helicóptero (válido apenas para o retorno em grupo)
  • Empréstimo gratuito de jaqueta de pluma de ganso, saco de dormir, duffle bag e bastões de caminhada
  • Trekking permit e mapa da trilha
  • Seguro viagem com cobertura para resgate em alta montanha

NÃO INCLUI

  • Passagens aéreas e taxas de embarque
  • Visto de entrada no Nepal (USD40,00)
  • Early check-in e Late check-out
  • Equipamento de fotografia e trekking
  • Despesas com transporte, acomodação, etc em caso de retorno antecipado da trilha por questões climáticas, físicas ou outros motivos de força maior
  • Bebidas e refeições não mencionadas no roteiro
  • Despesas pessoais e gorjetas

OBSERVAÇÕES

  • Esta viagem é destinada a todos os entusiastas do montanhismo e da fotografia, de iniciantes a profissionais, não havendo pré-requisito para inscrição, como nível de conhecimento ou equipamento fotográfico. Também é indicada a quem procura por uma experiência de vida de superação e imersão na cultura/natureza de um dos destinos mais emblemáticos da Ásia. As orientações do fotógrafo e guia serão feitas de acordo com o objetivo de cada participante;
  • Os preços estão em dólares americanos (US$) e por pessoa. A conversão para o Real levará em consideração o câmbio turismo no dia do pagamento, conforme cotação do Valor Econômico;
  • O roteiro pode sofrer alterações após o início da viagem devido às condições climáticas e/ou caso o fotógrafo responsável considere necessário para garantir o melhor aproveitamento do tempo;
  • Para essa viagem, os brasileiros necessitam de passaporte com validade mínima de 6 meses a partir da data de chegada a Katmandu, certificado internacional de vacinação contra febre amarela e visto emitido na chegada ao país;
  • Duração média diária na trilha: 7 horas;
  • Altitude máxima alcançada: 5.545 m.

EQUIPAMENTOS FOTOGRÁFICOS RECOMENDADOS

  • Câmera fotográfica DSLR ou Mirrorless
  • Cartões de memória
  • Lentes de 17mm a 200mm
  • Tripé
  • Cabo disparador

* Em caso de dúvidas, clique aqui e veja nosso FAQ.

QUER SE INSCREVER OU TEM DÚVIDAS?

PARTE TERRESTRE – VALORES POR PESSOA

POR PESSOA EM ACOMODAÇÃO DUPLA:

US$ 4.490,00*

SUPLEMENTO VOLUNTÁRIO PARA QUARTO INDIVIDUAL: US$ 500,00

DEPÓSITO NO MOMENTO DA INSCRIÇÃO: R$ 2.500,00**

DESCONTO PARA OS 06 (SEIS) PRIMEIROS INSCRITOS: R$ 700,00

* Caso o grupo seja fechado e não haja um participante para dividir o quarto duplo, deverá ser pago um suplemento involuntário no valor de US$250,00. Este valor deverá ser pago a vista 72h antes do início dos serviços.

** Esta viagem exige um número mínimo de 8 participantes para que o grupo seja confirmado. No momento da inscrição, deverá ser pago um sinal como garantia de inscrição no valor de R$2.500,00 por pessoa, sendo que este sinal não é reembolsável em caso de desistência da viagem e não pode ser utilizado como crédito para outro destino. A confirmação ou não da saída será feita no dia 15/08/2018 ou antes, caso já tenhamos atingido o número mínimo de participantes. Confirmando o grupo, o valor será abatido da entrada e caso o mesmo não seja confirmado, o valor será integralmente devolvido.

Voos Internacionais

Chegada a Katmandu no dia 21 de outubro. Embarque de retorno ao Brasil a partir de Katmandu no dia 2 de novembro. Consulte-nos para cotação e reserva das passagens aéreas.