UMA IMERSÃO FOTOGRÁFICA NAS MAIS INÓSPITAS PAISAGENS DA ÁFRICA

Localizada na costa ocidental da África, com litoral banhado pelo Oceano Atlântico e tendo como países fronteiriços Angola (ao norte), Botsuana (a leste) e África do Sul (ao sul), a Namíbia ainda é pouco conhecida pelos brasileiros. O que, claro, não deixa de ser um ponto positivo para quem busca um destino singular com paisagens naturais únicas e exuberantes.

Com cerca de 2,6 milhões de habitantes apenas, esse pequeno país africano repleto de lugares remotos e inóspitos se torna facilmente um local ideal para uma expedição fotográfica, proporcionando uma experiência inesquecível.

Para quem gosta de conhecer e colocar em prática novas técnicas de fotografia esta viagem pode ser ainda mais especial, pois teremos a oportunidade de registrar belas paisagens naturais, tanto à luz do dia como durante a noite.

Os entusiastas da fotografia que desejam explorar a Namíbia devem estar preparados para uma vivência intensa bem próxima à natureza em um país pouco habitado, que, além de oferecer uma ótima infraestrutura para os visitantes, ainda brinda o turista com algumas das paisagens naturais mais exuberantes do planeta. Lá, visitaremos quatro locais impactantes, alguns deles raramente cursados pelos roteiros convencionais, que, tenho certeza, irão agradar àqueles que buscam captar belas imagens.

Após a chegada a Windhoek, capital e maior cidade do país, embora tenha apenas 230 mil habitantes, o grupo rumará ao sul para conhecer a Quivertree Forest. Esta floresta é formada por espécies de árvores raríssimas que brotam e crescem em meio a formações rochosas peculiares que parecem terem sido empilhadas a mão. Neste local inóspito vou compartilhar com vocês uma das minhas técnicas preferidas: a fotografia noturna. Para isso, será necessário iluminar essas árvores pré-históricas com flash, o que ajudará a criar imagens impressionantes.

Não muito distante dali, ainda no sul da Namíbia, a outra parada será próximo à cidade de litorânea de Luderitz, de onde, aliás, em 1984, o navegador Amyr Klink zarpou para cruzar o Oceano Atlântico em uma travessia solitária a remo. O ponto alto ali, na verdade, está a 10 km de Luderitz, em pleno deserto da Namíbia. Trata-se da cidade fantasma de Kolmanskop, que começou a ser construída em 1908, durante o auge da extração de diamantes na região, para abrigar os funcionários da companhia mineradora. Após décadas de abandono, em meio a uma paisagem desolada e árida, ela ainda guarda muitos resquícios de sua arquitetura alemã original.

A terceira parada será no Parque Nacional Nammib-Naukluft, em meio ao deserto de Namib, que abriga algumas das maiores dunas do mundo. Além desses montes de areia de inacreditáveis tons avermelhados, a visita inclui um passeio por Deadvlei, uma incrível planície de sal com troncos de acácias mortas há mais de 900 anos.

Ficaremos três dias alojados em um confortável lodge localizado no interior do parque, o que nos permitirá chegar com rapidez aos melhores pontos para captarmos as melhores imagens. Esse ecossistema é único. Não há nada igual no planeta e poderemos deslumbrar esse ambiente no comecinho da manhã e também tarde da noite em locais absolutamente silenciosos sob um céu impressionante. Será, sem dúvida, uma experiência única.

Por fim, a quarta parada será na cidade de Swakopmund, a segunda maior da Namíbia, um balneário litorâneo a cerca de três horas da capital. A partir de lá, a expedição visitará a Costa do Esqueleto, cujo nome faz referência às dezenas de carcaças de navios que, em razão dos constantes nevoeiros que baixam na região, naufragaram, emprestando ao local um ar misterioso e fantasmagórico, o que, com certeza, propiciará imagens interessantes e inusitadas. Por ali há ainda um fato curioso, pois encontram-se vestígios de embarcações naufragadas cerca de 1 km antes da praia. Uma possível resposta é o avanço das areias do deserto sobre o mar.

Para quem busca uma viagem diferente, repleta de excelentes atrações e cenários dos mais variados a Namíbia é, com certeza, um dos melhores destinos. Venha conosco explorar a natureza de um dos mais interessantes países africanos.

 

Cristiano Xavier

 

 

Clique aqui e confira a Galeria completa de fotos

CONFIRA OS VALORES E CONDIÇÕES

Cristiano Xavier

Fine Nature Photography

A fotografia é fascinante e capaz de mudar a vida de muitas pessoas. Foi o que aconteceu com Cristiano Xavier, mineiro, nascido em Belo Horizonte há 43 anos. Sempre gostou de fotografar, mas, como profissão, havia abraçado a odontologia. Cristiano começou a fotografar em 1998 e, para ele, a fotografia de natureza era mais um hobby, embora um hobby levado muito a sério. Naquele final da década de 1990, Cristiano estudou muito e devorava todos os livros e revistas que tratavam do assunto e apareciam na sua frente. Dessa forma, como autodidata, começou a aprender e a desenvolver as principais técnicas de fotografia.

Até que, em 2002, resolveu se aprofundar no assunto e partiu para os Estados Unidos, mais especialmente para o Palm Beach Photographic Centre, onde teve a oportunidade de conhecer a obra de importantes fotógrafos americanos. Quando, após um ano, retornou ao Brasil tomou uma decisão que mudaria sua vida para sempre: trocou definitivamente o avental, as luvas e os equipamentos odontológicos pelas câmeras, flashs e lentes fotográficas. Largou o consultório para se dedicar exclusivamente à fotografia. Depois de algum tempo, em Belo Horizonte, abriu um estúdio, onde produzia fotos industriais, still, retratos, entre outras demandas comerciais.

Durante esse período, mesmo com o estúdio em funcionamento, Cristiano nunca deixou de viajar e de fotografar a natureza, tendo como inspiração renomados fotógrafos da área, como o americano Art Wolfe e os brasileiros Fábio Colombini e Luciano Candisani. E mais recentemente outros nomes como Marc Adamus, Ian Plant, Joseph Rossbach, Christian Lim e Iurie Belegurshi, que se tornaram amigos.

Mesmo bebendo na fonte de grandes mestres, Cristiano Xavier desenvolveu uma linha própria de trabalho, mais direcionada à valorização da estética e às imagens que registram a beleza da natureza, levando em conta a composição do ambiente e da luz. Seu olhar busca captar aquela imagem que emociona, que impacta e que ao mesmo tempo está conectada com sua alma. Além disso, Cristiano desenvolveu um estilo especial para fotos noturnas, uma de suas áreas favoritas.

A partir de 2013, como um dos sócios fundadores da OneLapse, também passou a viajar ao redor do mundo liderando grupos de entusiastas da fotografia. Para ele, estas viagens são oportunidades únicas para a interação de vários olhares ao mesmo tempo e para que haja uma intensa e rica troca de experiências entre os participantes. Afinal, todos estão juntos respirando fotografia 24 horas por dia.

Segundo Xavier, estas viagens são essenciais para quem deseja fazer uma imersão na arte de fotografar. Para isso, basta estar aberto a novas experiências e entrar no clima da expedição. Tudo isso, segundo ele, é fundamental para que os resultados das fotos sejam cada vez melhores, como mostra suas imagens captadas em vários destinos, como Yukon (Canadá), Ilhas Lofoten (Noruega), Namíbia, Irã, Patagônia, Cuba, Peru, Islândia, Tanzânia, Nepal, Butão, entre outros.

Clique aqui e saiba mais sobre o Fotógrafo.

DIA A DIA

LEGENDA

  Café da manhã incluído
  Almoço incluído
  Jantar incluído

DIA 1 | WINDHOEK

Chegada ao aeroporto internacional de Windhoek. Recepção e traslado ao hotel para check-in. À noite, nos encontraremos com o fotógrafo Cristiano Xavier para uma explicação detalhada sobre o dia a dia da viagem. Pernoite.

DIA 2 | WINDHOEK – KEETMANSHOOP

Após o café da manhã, saída com destino a cidade de Keetmanshoop, considerada a capital e centro econômico do sul do país. Será uma longa viagem pelo deserto e com isso teremos a real noção do isolamento desta área. No caminho, faremos uma parada para um lanche. Chegaremos ao nosso destino já no final da tarde e teremos a oportunidade de fotografar a peculiar floresta de Quiver Trees com a luz do fim do dia. Estas espécies vegetais não são consideradas árvores, mas uma espécie do gênero Aloe encontrada somente na Namíbia e norte da Africa do Sul. Só se tem notícia de duas aglomerações espontâneas destes vegetais no mundo, sendo a outra localizada em Gannabos. Pernoite.

DIA 3 | KEETMANSHOOP

Manhã livre com opção de fotografar a floresta de Quiver Trees durante a primeira luz do dia. Podemos também aproveitar a manhã para fotografar algumas cheetahs da reserva privada e, com sorte, alguns suricatos. Tempo livre até a nossa saída da tarde, quando exploraremos uma região com formações rochosas bem enigmáticas aproveitando o pôr do sol. Estas formações se originaram há 180 milhões de anos na separação dos continentes quando o magma foi forçado entre fendas e a erosão subsequente criou o que se chama hoje de Giant’s Playground, pois a sensação que temos é que uma criatura gigante empilhou as pedras uma a uma. Trata-se de uma excelente área para exercitarmos a composição entre rochas e Quiver Trees, e por ser muito primitiva, as imagens em preto e branco proporcionam um apelo especial. Fotos noturnas estão planejadas dependendo das condições climáticas. Retorno ao hotel e pernoite.

DIA 4 | KEETMANSHOOP – LUDERITZ

Após o café da manhã, viajaremos por algumas horas em direção a cidade litorânea de Luderitz, conhecida por sua arquitetura colonial, incluindo obras no estilo Art Nouveau. Aqui, o clima já é bem mais frio do que no interior por conta da ação da corrente gelada que atinge o litoral do país. Ao redor de Luderitz, vamos conhecer no dia seguinte um pouco da sua história mineradora e como os colonizadores alemães ocuparam a região na busca pelos diamantes. Noite livre e pernoite.

DIA 5 | LUDERITZ

Nosso dia será dedicado a fotografar a cidade fantasma de Kolmanskop em diferentes situações de luz. O avanço das dunas sobre a cidade desolada e árida, construída em meados de 1908 na corrida pelos diamantes, nos proporciona cenários como um hospital, uma escola, casas e prédios administrativos abandonados e engolidos pela areia, guardando resquícios da arquitetura alemã original. Será uma bela oportunidade para exercitarmos a nossa criatividade e o olhar. Sairemos bem cedo para aproveitar a cidade durante a primeira luz do dia e voltaremos no meio da tarde para situações diferentes de luz, além de outras partes da cidade. Entre uma visita e outra poderemos descansar no hotel bem como caminhar por Luderitz que também possui um ambiente bastante singular com suas construções coloridas e ruas de terra.

DIA 6 | LUDERITZ – SOSSUSVLEI

De Luderitz seguiremos em mais uma longa jornada pelo interior da Namíbia até Sossusvlei, uma das portas de entrada do deserto de Namib. O nome Sossusvlei tem uma mistura de origens e significa “Pântano sem fim” ou “Pântano sem saída”. O nome foi dado porque o efêmero Rio Tsauchab desembocava ali e se transformava num local com sistema de drenagem onde a água não saía. Ficaremos hospedados num EcoLodge na encosta de um rochedo com vista para a bela paisagem. É nesta região que buscaremos explorar a luz moldando as maiores dunas do mundo que chegam a 300 metros de altura. Check-in e pernoite.

DIA 7 | SOSSUSVLEI

O dia será dedicado a fotografar as enormes dunas do Parque Nacional Nammib-Naukluft em diferentes momentos, como o nascer e o pôr do sol. O incrível cenário proporciona interessantes contrastes aproveitando os tons avermelhados e sombras. Buscaremos explorar também um pouco da vida selvagem da região combinada a este cenário espetacular. No intervalo entre as saídas fotográficas, poderemos relaxar na piscina do lodge e verificar o material produzido até então.

DIA 8 | SOSSUSVLEI – DEADVLEI

Hoje iremos explorar o Deadvlei, um dos locais mais emblemáticos de toda a região. Considerada uma “bacia de argila branca”, o Deadvlei é famoso por seu solo de argila, formado após uma grande precipitação, quando o rio Tsauchab inundou formando rasas e temporárias piscinas, onde a abundância de água permitiu que uma espécie de acácias (Acacia erioloba) se desenvolvesse. Porém, a ocorrência de algumas mudanças climáticas fez com que dunas de areia invadissem a área junto ao rio, impedindo que este chegasse à região. Isto, portanto, ocasionou uma grande aridez, e transformou o local no que é hoje: um local icônico e um verdadeiro paraíso para os entusiastas da fotografia. Nossa ideia é explorar a região nos momentos mais adequados de luz, quando praticamente não há a presença de outros turistas. Vamos exercitar inúmeras possibilidades de composição, com diferentes distâncias focais, além da fotografia noturna.

DIA 9 | SOSSUSVLEI – SWAKOPMUND

Pela manhã, bem cedo, há a possibilidade de um voo de balão (opcional e não incluído) sobre as dunas, onde será possível observar as formações geológicas e até um pouco de vida selvagem, finalizando com um belo cafe da manhã e brinde com champanhe. De Sossusvlei, viajaremos o dia todo até Swakopmund, a segunda maior cidade do país, principal balneário da Namíbia e um dos mais bem preservados exemplos da arquitetura colonial alemã no mundo. Várias lojas exibem antiguidades, objetos típicos e o belo artesanato local para todos os gostos e bolsos. À noite, poderemos desfrutar de um dos excelentes restaurantes na região do cais. Pernoite.

DIA 10 | SWAKOPMUND

Pela manhã, visitaremos uma colônia de flamingos na Baía de Walvis, ótima chance para exercitarmos a fotografia de movimento e as técnicas de panning. Na parte da tarde, dependendo do clima iremos até um dos navios encalhados no caminho para Cape Cross, o que também nos rende ótimas imagens. No fim do dia, poderemos combinar um Happy Hour com todo o grupo e relembrar os momentos inesquecíveis da expedição. Pernoite.

DIA 11 | SWAKOPMUND – WINDHOEK – EMBARQUE

Sairemos cedo com destino a capital Windhoek em uma viagem de aproximadamente três horas de duração. Chegada diretamente ao aeroporto internacional para embarque a Joanesburgo e conexões.

FIM DOS SERVIÇOS

GALERIA DE FOTOS

Fotos: Cristiano Xavier. Todos os direitos reservados.

MAIS INFORMAÇÕES

   HOSPEDAGEM

WINDHOEK: Hilton Windhoek ou similar
KEETMANSHOOP: Quivertree Forest Camp
LUDERITZ: Luderitz Nest ou similar
SOSSUSVLEI: Sossus Dune Lodge
SWAKOPMUND: Strand Hotel ou similar

INCLUI

  • 10 noites de hospedagem com café da manhã
  • Traslados de chegada e saída em Whindhoek nos horários de voo selecionados no momento da confirmação do grupo
  • Transporte privativo ao grupo durante todo o roteiro
  • Entradas para todos os locais visitados de acordo com o roteiro
  • Acompanhamento do fotógrafo Cristiano Xavier e instruções de fotografia de acordo com o objetivo de cada participante
  • Acompanhamento de coordenador da OneLapse falando português
  • Seguro viagem April – Max 60 Mundo

NÃO INCLUI

  • Passagens aéreas internacionais e taxas de embarque
  • Traslados de chegada e saída em horários diferentes dos selecionados
  • Visto de entrada na Namíbia (cerca de USD50,00)
  • Early check-in e Late check-out
  • Equipamento de fotografia
  • Passeios descritos como opcionais
  • Bebidas e refeições não mencionadas no roteiro
  • Despesas pessoais e gorjetas

OBSERVAÇÕES

  • Para esta viagem brasileiros necessitam de passaporte com validade mínima de seis meses a partir da chegada a Namíbia, certificado internacional de vacinação contra febre amarela e emissão de visto na imigração em Windhoek (cerca de USD50,00);
  • Esta viagem é destinada a todos os entusiastas da fotografia, de iniciantes a profissionais, não havendo pré-requisito como nível de conhecimento ou equipamento fotográfico. As orientações do fotógrafo serão feitas de acordo com o objetivo de cada participante e todos os inscritos devem ter consciência de que o principal foco da viagem é a fotografia;
  • Os preços estão em dólares americanos (US$) e por pessoa. A conversão para o Real levará em consideração o câmbio turismo no dia do pagamento, conforme cotação do Valor Econômico;
  • O descritivo do roteiro é uma ideia das atividades que buscaremos fazer durante a expedição e que podem ser alteradas de acordo com as condições climáticas, recomendações do fotógrafo responsável ou motivos de força maior.

EQUIPAMENTOS RECOMENDADOS

  • Câmera fotográfica
  • Cartões de memória
  • Lentes de 17mm a 400mm
  • Tripé
  • Cabo disparador

* Em caso de dúvidas, clique aqui e veja nosso FAQ.

QUER SE INSCREVER OU TEM DÚVIDAS?

PARTE TERRESTRE – VALORES POR PESSOA

POR PESSOA EM ACOMODAÇÃO DUPLA:

US$ 4.590,00*

SUPLEMENTO VOLUNTÁRIO PARA QUARTO INDIVIDUAL US$ 650,00

SINAL EM DEPÓSITO NO MOMENTO DA INSCRIÇÃO: R$ 2.500,00

DESCONTO AOS 6 (SEIS) PRIMEIROS INSCRITOS: R$ 700,00

FORMAS DE PAGAMENTO
  • À vista em depósito com 5% de desconto
  • 30% de entrada em depósito + saldo em até 4x sem juros no Visa/MasterCard/Amex

* Caso o grupo seja fechado sem cia para dividir a acomodação, será cobrado um suplemento involuntário no valor US$325,00 72h antes do embarque.

** Esta viagem exige um número mínimo de 10 participantes para que o grupo seja confirmado. O sinal é uma garantia de inscrição e não é reembolsável, em caso de desistência da viagem, bem como não é válido para troca de destino. A confirmação, ou não, da saída será feita em 17/08/2018, ou antes, caso já tenhamos atingido o número mínimo de participantes (a saída normalmente é confirmada bem antes do prazo). Confirmando o grupo, o valor do sinal será abatido da entrada e caso o mesmo não seja confirmado, o valor será integralmente devolvido.

VOO INTERNACIONAIS

Chegada a Windhoek no dia 19 de outubro em qualquer horário com check-in a partir das 14h. Embarque de retorno no dia 29 de outubro em horário a ser sugerido na confirmação da saída do grupo (consulte-nos para a emissão das passagens aéreas).