(11) 2528-9181contato@onelapse.com.br

EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA – PANTANAL

/ EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA – PANTANAL

EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA AO PANTANAL – JULHO 2016

COM LUCIANO CANDISANI (NATIONAL GEOGRAPHIC)

O Pantanal Norte

Poucas experiências na natureza superam em emoção o encontro com uma onça-pintada. O animal é magnífico. A expressão do olhar, o porte , o padrão da pele, a força, o comportamento elusivo. E ainda tem o contexto. A sua presença em um ecossistema indica, sempre, ótima qualidade ambiental, algo tão raro quanto o próprio felino. Apenas grandes espaços naturais originais tem condições de manter uma população saudável da espécie. Se tem onça, significa que toda a cadeia alimentar abaixo dela está intacta, funcionando. Olhar nos olhos desse animal, em seu habitat, é algo capaz de renovar as nossas esperanças num um futuro melhor para o planeta, creio.

Em busca dessa rara experiência, partimos para o extremo norte do Pantanal com um grupo de 12 fotógrafos organizado pela equipe da OneLapse expedições fotográficas. Escolhemos a região da confluência entre os rios Cuiabá e Três Irmãos, conhecida como a melhor possível para a observação de espécies como a onça, a ariranha e a arara-azul. Viajou conosco o guia naturalista Ricardo Casarin, com vasta experiência na região e conhecedor do comportamento das onças .

Pantanal tem presença importante na minha trajetória profissional. Em 1999, passei dez dias na região para produzir fotos e textos para uma matéria sobre o projeto Arara Azul, da bióloga Neiva Guedes. Seguiram-se muitas viagens , três livros, e trinta matérias para revistas, incluindo uma para a edição principal da National Geographic, “The Comeback Croc”” – trabalho premiado com o Wildlife Photographer of the year de 2012. Foram todas experiências marcantes. Ainda assim, minha curiosidade por esse ambiente permanece intacta. É um lugar instigante, dinâmico , surpreendente. Toda jornada reserva surpresas.

Nessa viagem, tivemos 9 encontros com onças diferentes em quatro dias no rio , muito mais do que eu jamais tivera a chance de observar antes. E em ótimas condições de luz, outra novidade para mim. Entre uma onça e outra, vimos outros espetáculos pantaneiros impressionantes: anta cruzando o rio Piqueri, ariranhas entrando e saindo da toca, no Rio Cuiabá, uma enorme sucuri sobre a vegetação aquática, na boca do três irmãos e aves, muitas aves, por toda parte. Dias memoráveis. Todos os participantes tinham mais fotografias de onças do que eram capazes de editar nas escassas horas livres da expedição.

Há menos de uma década, avistamentos de onças com tais frequência e qualidade não aconteciam nem nos nossos melhores sonhos. O fato é que elas vem sofrendo um processo natural de habituação e estão cada vez mais tolerantes com a presença das pessoas. Não se intimidam nem em perseguir suas presas – capivaras e jacarés – na frente da platéia. Isso atrai um número crescente de visitantes.

Vejo o turismo de observação de fauna como uma das melhores saídas disponíveis para a conservação da biodiversidade. Não faltam precedentes de sucesso no mundo, muitas espécies salvas da extinção pela cadeia virtuosa do turismo ecológico. Com ética e respeito aos limites ambientais, o turismo poderá trazer dias melhores para as nossas onças, ainda vítimas da caça e perda de hábitat.

Já estamos planejando a próxima expedição.

Luciano Candisani

GALERIA DE IMAGENS - TRABALHOS ANTERIORES NA REGIÃO

pantanal onelapse 3

GALERIA DE IMAGENS - EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA 2016

Fotos: Luciano Candisani. Todos os direitos reservados.